Publicidade
Opinião Opinião

Agora a Covid avermelhou de fato

Sem protocolos de cogestão por duas semanas, suspenso pelo Estado, municípios da região estão na bandeira vermelha sem flexibilizações para a laranja

Por Guilherme Schmidt
Publicado em: 30.11.2020 às 22:49 Última atualização: 30.11.2020 às 22:50

Com os números da Covid-19 no Estado chegando a patamares de pico da doença (o que foi registrado de julho para agosto), o governo resolveu dar uma freada no “afrouxamento” das regras, encerrando temporariamente o sistema de cogestão que dava aos municípios e regiões a possibilidade de terem protocolos de uma bandeira abaixo, ou seja, neste caso da vermelha, era possível adotar a laranja. Mas, agora, vermelha é vermelha. Ou seja, as regras são menos “liberais”. Não se trata de fechar atividades econômicas, mas de restringir aglomerações. O restaurante, por exemplo, não fecha, mas vai ter que respeitar as regras de distanciamento, o que, convenhamos, alguns estabelecimentos da região deixaram de lado nas últimas semanas.

Restrições

No caso dos restaurantes e bares, as mesas têm que estar a dois metros de distância. Não é o que se via nos últimos dias, com usuários a poucos centímetros, quase encostando as costas um no outro.

Ao ar livre

O Estado resolveu tocar em um problema que vem se acentuando nas últimas semanas: aglomerações. Praças, praia e até ruas estão com permanência vedada, segundo as novas regras, permitindo-se apenas a circulação.

Sem cinema, sem festa

São Leopoldo nem abriu, mas Canoas e Novo Hamburgo - assim como a capital - terão que novamente fechar seus cinemas. E festas de casamento, formaturas, aniversários voltam a ser “proibidos”, algo que Porto Alegre até já havia decidido.

Olho no litoral

Talvez este seja o grande desafio do Estado em dezembro, mês de início do veraneio. O governo já sinalizou recursos à saúde nas praias, e agora pede mais rigor aos veranistas. Mas a verdade é que só o policiamento poderia impedir multidões na beira-mar e festas de fim de ano. Algum governante comprará esta briga?

BR-116 lenta

A operação tapa-buracos feita entre a Scharlau e a ponte sobre o Rio dos Sinos tem provocado atrasos de 15 a 30 minutos para quem usa a rodovia. Programe-se na hora de pegar a rodovia...

Combustíveis

Normalmente com preço médio parecido nos postos, o litro da gasolina agora tem diferenças que chegam a mais de 20 centavos. São “apenas” 10 reais em um tanque de 50 litros. Mas daria para pôr quase 2,5 litros a mais.


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.