Publicidade
Opinião

Força, Bolsonaro!

Por Alexandre Aguiar
Publicada: 07.07.2020 às 19:58

O presidente da república Jair Bolsonaro anunciou hoje que o resultado do exame que fez para o coronavírus deu positivo e que está com a Covid-19 pelos sintomas gripais que apresentou. Como disse o analista Ian Bremmer, da consultoria Eurasia Group, se algum chefe de estado ou governo no mundo tinha tanta chance de se infectar esse era Bolsonaro, afinal nenhum demonstrou conduta tão irresponsável, inconseqüente, cruel e ardil nesta epidemia como o líder brasileiro. E olha que muitos outros líderes mundiais fizeram um esforço imenso para competir, a ponto de Trump ter sugerido às pessoas que ingerissem detergente como prevenção, mas ninguém supera Bolsonaro.

O filósofo e jornalista Hélio Schwartsman escreve na Folha de São Paulo coluna cujo título é “Por que torço para que Bolsonaro morra” em que diz que o presidente prestaria na morte o serviço que foi incapaz de ofertar em vida. Penso diferente. Seja por questão de princípio de não desejar a morte para ninguém, seja pelo desejo de ver a figura mais abjeta e despreparada a ter ocupado o poder no Brasil responsabilizado pelos seus atos.

Eu torço para que Bolsonaro não morra para que seja julgado em tribunais nacionais e internacionais pela sua postura criminosa na epidemia. Pessoas morreriam independente de quem estivesse no Planalto, mas Bolsonaro contribuiu - e muito - pra que tivéssemos o segundo maior número de óbitos no mundo, somente atrás dos Estados Unidos. Com “gripezinha” e “resfriadinho”, com “fantasia”, com promessa de remédios ineficazes, com o desmonte do Ministério da Saúde (sem ministro por quase dois meses hoje), com a sua total omissão na tragédia, com sua falta de empatia, com aglomerações inúteis, com sabotagem aos esforços de governos locais para o distanciamento, etc.

Eu torço para que Bolsonaro não morra para que possa ver a Praça dos Três Poderes, em Brasília, em festa com sua saída do poder, pelas urnas ou processo de afastamento por crime comum ou de responsabilidade nos marcos da Constituição.

Eu torço para que Bolsonaro não morra para que o presidente possa testemunhar um ou mais de seus filhos serem presos ou encarando a Justiça pelas denúncias de corrupção, enriquecimento sem causa e operação de uma máquina de fake news e de destruição de reputações alheias.

Eu torço para que Bolsonaro não morra para que o presidente possa ver ser o seu amigo e companheiro de longa data Queiróz e seus cúmplices no banco dos réus e julgados por seus crimes contra a administração pública, se antes não fraquejarem e denunciarem o envolvimento do ocupante do mais alto cargo da nação nos esquemas sujos.

Eu torço para que Bolsonaro não morra para que o presidente enxergue o desfecho das investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco com seus amigos milicianos não só julgados e condenados como vivendo um longo tempo de cárcere, caso este que tem margem ainda para surpresas.

Força, Bolsonaro! Eu não desejo ver seus apoiadores pranteando sua morte. Merecemos vê-los pranteando, sim, as suas condenações.

E a você que não gostou da coluna, o que é seu direito, afinal vivemos em democracia e não na ditadura aclamada pelo enfermo com ratos como Ustra e outros, a você respondo com as palavras do presidente para os 65 mil brasileiros mortos.

E daí?


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.