Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Rio Grande do Sul LUTO NO CINEMA GAÚCHO

Morre em Porto Alegre o ator gaúcho Sirmar Antunes

Artista esteve em mais de 40 filmes, entre curtas e longas; ano passado, foi premiado pelo Festival de Cinema de Gramado

Por Redação
Publicado em: 06.08.2022 às 14:36

O ator gaúcho Sirmar Antunes morreu, aos 66 anos, em Porto Alegre neste sábado (6). Ele morava na Casa do Artista Riograndense, na capital. A morte de Antunes foi confirmada pela ONG, que abriga artistas com idade avançada.

Sirmar Antunes morreu aos 66 anos
Sirmar Antunes morreu aos 66 anos Foto: casadoartistars-Instagram/Reprodução
Por meio de nota, a Casa do Artista lamenta a perda e pede ajuda para pagar as despesas da despedida. "Quem quiser se dispor a colaborar com despesas para o velório, por favor fazer um pix para Casa do Artista. Chave CNPJ 883163360001/09."

Em 2021, Antunes recebeu o Prêmio Leonardo Machado, do Festival de Cinema de Gramado. Os organizadores do evento o descreveram como "ícone, cuja história se confunde à de nosso cinema e cuja imagem está eternizada em tantas obras que marcam nossa produção".

A esteve em mais de 40 filmes, entre curtas e longas, numa trajetória que resume boa parte da história do cinema gaúcho, destacou, na época, a premiação.

Trajetória

Nascido em Porto Alegre em 1955, Sirmar começou no teatro ainda adolescente. Sua primeira aparição no cinema foi, justamente, na fase final do período do cinema popular dos anos 70 capitaneado por Teixeirinha: em 1979, Sirmar faz uma pequena participação em Domingo de Gre-Nal, um dos últimos grandes sucessos de bilheteria daquela época.

Sirmar também deixaria sua marca no período de efervescência do curta-metragem dos anos 80: em O dia em que Dorival encarou a guarda (1986), é ele o militar que, após a confusão, apieda-se do detento e partilha um cigarro com ele. Esse clássico do cinema gaúcho, escolhido Melhor Curta em Gramado, completa 35 anos.

A carreira de Sirmar seguiria junto com o cinema do Estado, que retomou sua produção de longas-metragens no fim dos anos 90. Sirmar teve papéis de grande destaque em produções como Lua de outubro (1998), Netto perde sua alma (2001), Concerto campestre (2005), Netto e o domador de cavalos (2008) e Em teu nome (2009) – um dos filmes em que divide a cena com Leonardo Machado, que dá nome ao prêmio ora conferido ao colega.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.