Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Rio Grande do Sul POLÊMICA

'Jamais pediria adiamento da vacinação', afirma Eduardo Leite em coletiva de imprensa

Governador gaúcho teria recebido ligação do ministro da Casa Civil na época, Eduardo Ramos, e ligado para o companheiro de partido e governador de São Paulo, João Dória

Por Ubiratan Junior
Publicado em: 18.11.2021 às 19:38 Última atualização: 18.11.2021 às 20:42

Na tarde desta quinta-feira (18), o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, afirmou que não fez nenhum pedido ao governador de São Paulo, João Doria, para adiar o começo da vacinação contra a Covid-19 em janeiro.

Eduardo Leite disse que não pediu adiamento da vacinação
Eduardo Leite disse que não pediu adiamento da vacinação Foto: Reprodução/Youtube
Leite explicou que recebeu a ligação do ministro da Casa Civil na época, Eduardo Ramos, e então ligou para o companheiro de partido para relatar o ocorrido, mas que não fez nenhum pedido para que a vacinação fosse adiada. O governador gaúcho lembrou que na ocasião apoiou o início da vacinação e citou uma publicação feita em rede social sobre o ponta pé inicial da imunização no País, que começou em São Paulo.

Ainda de acordo com Leite, “naquele momento havia remarcações, calendários mudando a todo instante e impasse sobre a aquisição da Coronavac no Brasil”. Ele também disse que a conversa nada mais foi que “um esforço de conciliação política para a vacinação no Brasil”.

“De um lado o uso excessivo da vacina politicamente e de outro negacionismo”, afirmou o governador gaúcho, que disse estar preocupado com o surgimento de novo impasse, conversou com Dória, que de imediato negou adiar a vacinação. “Eu dei razão a ele, para que desse início daquela forma, e ali se esgotou o assunto”, completou Leite.

Tensão política

Pré-candidato à concorrer a eleições de 2022 pelo PSDB, o tucano disse que setores da esquerda e também seus opositores internos se beneficiaram de fake news sobre a conversa com o governador paulista, que também disputa as prévias do partido neste final de semana.

Confiante, Leite afirmou que consultorias apontam a sua vitória nas prévias tucanas e que os dados mostram que ele é o candidato quem com maior possibilidade de crescimento sendo a terceira via do pleito do ano que vem, como alternativa para que o ex-presidente Lula não seja eleito ou que Bolsonaro não se reeleja.

Leite disse ainda que o Rio Grande do Sul sempre esteve entre os três estados que mais aplicaram vacinas e lembrou que até promoveu premiação aos municípios para incentivar o aumento de aplicações do imunizastes. Sobre o assunto envolvendo a ligação com Dória, ele afirmou que é “uso eleitoral politico é indevido. Novamente é injusto, é imoral, é oportunista, é mesquinho”.

Reforçando que em nenhum momento pediu o adiamento da vacinação, o Leite afirmou que “passando por cima de tudo para ganhar votos não é o caminhos que devemos adotar”, se referindo as prévias do PSDB e também às eleições de 2022.

O governador disse que após as prévias tucanas, o caminho que seguirá será do diálogo, alinhando ideias que beneficiem o país. “Minha história e minha biografia são maiores que essa tentativa de distorção”, finalizou.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.