Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Rio Grande do Sul PORTO ALEGRE

Centrais sindicais fazem manifesto para reajuste de 10,3% no piso regional

Segundo a CUT-RS, valor está congelado há mais de dois anos

Publicado em: 21.10.2021 às 10:20 Última atualização: 21.10.2021 às 11:24

Centrais sindicais realizam, na manhã desta quinta-feira (21), um protesto em frente ao Palácio Piratini, em Porto Alegre. A manifestação, que cobra reajuste de 10,3% para o piso regional, antecipa uma audiência pública que a Comissão de Economia, presidida pelo deputado Zé Nunes, promove a partir das 11 horas, no Teatro Dante Barone. 

O encontro foi proposto pelo deputado Luiz Mainardi. Ele pretende apresentar o seu parecer com uma emenda, garantindo o reajuste de 10,3%. 

Na quarta-feira (20), as centrais sindicais participaram de uma reunião com a Fiergs, Fecomércio, Farsul para tratar do assuntocomo forma de interlocução com o governo do Estado. A mesa de diálogo foi promovida pelo presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputado Gabriel Souza (MDB), com a participação dos deputados Luiz Fernando Mainardi (PT), Valdeci Oliveira (PT) e Zé Nunes (PT). O deputado Elton Weber (PSB) acompanhou de forma remota.

 

Piso congelado

De acordo com a Central Única de Trabalhadores (CUT-RS), o piso regional está congelado desde 1º de fevereiro de 2019. Em 2020 o governador do Estado, Eduardo Leite, enviou um projeto de lei aos deputados com reajuste de 4,5%, que correspondia ao INPC de 2019, mas depois a base aliada de Leite votou reajuste zero e, então, o governador sancionou.

Já neste ano, o governo encaminhou um projeto em 15 de julho com elevação de 2,73%, o equivalente a 50% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2020. A CUT não esta de acordo com a proposta. 

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.