Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Rio Grande do Sul Seca

Estiagem: falta de chuva baixa nível do Rio Uruguai em Porto Mauá

Estação registrava pouco mais de 1 metro nesta terça-feira (5), às 7 horas, sendo que o nível normal varia entre 4 a 5 metros

Última atualização: 05.05.2020 às 20:44

Rio Uruguai: estiagem preocupa Foto: Giovani Schmidt / Prefeitura Municipal de Porto Mauá
O nível do Rio Uruguai, junto a Estação Pluviométrica do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), em Porto Mauá, registrava apenas 1 metro e 5 centímetros nesta terça-feira (5), às 7 horas, sendo que o nível normal varia entre 4 a 5 metros. O baixo nível do rio Uruguai está atraindo muitas pessoas aos finais de semana para caminhar sobre as pedras emersas do leito do rio.

São diversos os lugares onde isso é possível, entre eles Itapiranga e Iraí, municípios que estão na divisa entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina; Três Pedras, Corredeiras e Saltinho; Novo Machado, em Volta Grande; Porto Mauá, em Roncador; Porto Vera Cruz, em Porto Xavier.

Nestes locais, basta apenas atravessar o canalão com uma embarcação para ir da costa brasileira até a Argentina. Por causa da pandemia do coronavírus, no entanto, os brasileiros podem ir só até a divisa dos países, ou seja, até o canalão, pois a Gendarmeria e Marinha da Argentina estão fiscalizando a costa do rio, pois eles não permitem a entrada de brasileiros no seu território. Quem desrespeitar é preso.

Esta estiagem, entretanto, é menor do que a registrada em 24 de maio de 2012, quando em Volta Grande todas as pedras do leito do Rio Uruguai estavam emersas e as águas do rio apenas corriam pelo canalão. A estiagem de 1979 foi ainda maior, mas nada comparável ao de 1942, quando não choveu uma gota em um período de 6 meses. No Município de Porto Mauá, o canalão possui largura entre 10 e 15 metros e profundidade entre 25 e 30 metros.

Estado tem municípios em situação de emergência

Conforme a Defesa Civil do Estado, pelo menos 17 municípios da região comunicaram situação de emergência por causa da estiagem: Araricá, São Francisco de Paula, Brochier, Harmonia, Montenegro, Pareci Novo, Bom Princípio, Dois Irmãos, Feliz, Morro Reuter, Vale Real, Alto Feliz, Riozinho, Tupandi, Nova Petrópolis, São Sebastião do Caí e Salvador do Sul. O abastecimento e a criação de animais, olericultura e piscicultura são algumas das áreas prejudicadas.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.