Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região EXPECTATIVA

Umidade da Amazônia deve favorecer episódios de chuva na região

Fenômeno La Niña também deve contribuir para a maior variação das temperaturas, especialmente a partir de março

Por Eduardo Amaral
Publicado em: 22.02.2022 às 05:00 Última atualização: 22.02.2022 às 11:45

A chuva que chegou ao Vale dos Sinos entre a madrugada e a manhã de segunda-feira (21) é o prenúncio de uma pequena mudança no tempo para os próximos dias. A precipitação ainda foi baixa - apenas 4,2 milímetros até as 14 horas em Campo Bom -, mas, de acordo com a MetSul Meteorologia, a tendência é que a chuva volte ao longo da semana, com pancadas leves no fim da tarde desta terça (22) e na quinta-feira (24), além de chance de temporais entre a sexta (25) e o sábado (26).

Umidade da Amazônia deve favorecer episódios de chuva na região
Umidade da Amazônia deve favorecer episódios de chuva na região Foto: Diego da Rosa/GES
De acordo com Estael Sias, meteorologista da MetSul, um fenômeno que acontece no Norte do país deverá ter influência no Rio Grande do Sul. "A umidade da Amazônia vai estar mais voltada para o Sul e vai favorecer uma frequência maior de instabilidade e episódios de chuvas."

Essa umidade, junto com o fenômeno La Niña, que ainda atua sobre as águas do Oceano Pacífico, deve trazer uma variação maior das temperaturas, especialmente a partir do próximo mês.

"Os altos e baixos nas temperaturas a partir de agora serão mais frequentes, especialmente no mês de março, que marca essa transição", projeta a meteorologista.

Outono ainda seco

Oficialmente, o outono começa no dia 20 de março, entretanto, ainda devido as interferências do La Niña, a variação nas temperaturas já devem se acentuar nos próximos dias. O calor não cessará totalmente, mas reduzirá. E o frio chegará mais cedo, com previsão de temperaturas abaixo dos 10°C já em abril.

Só que a queda na temperatura não deve representar uma melhora na frequência e volume das chuvas. Os modelos para a estação são preliminares, mas já apontam para continuidade do tempo seco. "O que os modelos estão indicando é que o outono ainda terá chuvas abaixo da média", explica.

O tempo seco marcou todo o verão gaúcho e levou a uma grande crise hídrica em todo o Estado. Desde novembro agricultores enfrentam dificuldades para cuidar das lavouras e a produção gaúcha já se prepara para uma quebra nas safras de soja, milho e arroz.

Precipitação muito abaixo da média

A falta de chuvas trouxe uma consequência direta para a região, com a baixa no nível dos rios. Mesmo com a chuva que caiu ontem, o volume segue abaixo do comum para a época do ano. O acumulado em fevereiro, até agora, é de 32,2 milímetros, quando a média histórica para o mês é de 130,9 milímetros. Em Campo Bom, o Rio dos Sinos começou a semana com 1,2 metro no ponto de medição da Barrinha, considerado muito baixo.

Alívio para o Rio dos Sinos deve vir da Amazônia

Os principais afluentes do Rio dos Sinos estão na região Norte do Estado, que deve ter um cenário melhor de chuvas nos próximos dias graças à umidade da Amazônia, a qual favorece um cenário de chuvas na região. Estael Sias diz que uma melhora no nível do Rio dos Sinos deve ser notada já no início do próximo mês.

"Acredito que até a primeira semana de março com toda essa chuva que pode acontecer nos próximos dias e na virada do mês a gente possa sim ter uma melhora no nível do rio. Mas essa melhora só vai ser percebida no final da primeira semana."

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.