Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região HIDRATAÇÃO

Calor exige mais atenção com a saúde dos bebês

Roupas leves, protetor solar e maior oferta de água evitam problemas como a desidratação da criança

Por Daniele Farias
Publicado em: 29.01.2022 às 10:00 Última atualização: 29.01.2022 às 16:26

Os dias mais quentes do verão exigem cuidado especial com a saúde e bem-estar dos nossos pequenos. Alimentação, exposição solar, brincadeiras na água e a hidratação são alguns aspectos que merecem atenção redobrada dos pais e cuidadores, principalmente nesta época do ano.

Em dias quentes, como os recentes, banho de mangueira é opção para muitas crianças
Em dias quentes, como os recentes, banho de mangueira é opção para muitas crianças Foto: Paulo Pires/GES
A Fernanda Cristina da Rosa, mãe do Antony, de apenas um ano, se vira nos trinta para evitar qualquer problema com o bebê e a mana Manu, de 8 anos. Durante este período de férias, as crianças se divertem tomando banho de mangueira e aproveitando a piscina no pátio da casa da avó.

Fernanda conta que procura seguir alguns rituais básicos e as orientações dos pediatras. "Deixo ele sempre com protetor solar, uso o específico para crianças fator 50", explica.

Além disso, a oferta de líquidos deve ser constante. "O calor faz as crianças desidratarem muito rápido, por isso é importante que as mamãe e papais fiquem muito atentos e ofereçam bastante água", salienta o médico pediatra do Hospital Universitário (HU) de Canoas, Paulo Nader.

Fernanda relata que Antony é um bebê tranquilo em relação à alimentação, o que ajuda a mantê-lo hidratado. "Ele toma cerca de 1 litro e meio de água por dia e gosta de sucos. Além disso, come muita fruta, tipo laranja, morango, ameixa, melancia", ressalta.

Exposição ao sol

Além do uso de protetor solar, que deve ser reaplicado a cada duas horas, outra maneira de proteger os pequenos do sol forte são os chapéus, bonés, lenços e roupas especiais.

Basta um descuido na aplicação do protetor solar para que a pele sensível dos pequenos fique vermelha. Para evitar ardência e lesões, o melhor é evitar horário do sol forte (das 10 às 16 horas).

Nader lembra que quando o bebê é muito novinho os pais têm o costume de colocar roupas mais compridas para proteger do sol. "Isso pode ser prejudicial, pois a criança vai sentir calor e suar, facilitando o surgimento de alergias ou até poderá ter um resfriado ao entrar molhado de suor em ambientes com temperaturas mais baixas." O pediatra orienta que a criança deve vestir roupas leves e usar protetor solar adequado sempre.

Quartos devem ser bem ventilados durante a noite

Para uma boa noite de descanso, Nader indica que à noite, quando as temperaturas normalmente estão mais amenas, o quarto do bebê esteja bem ventilado. "Colocar telas mosquiteiros nas janelas é uma opção, pois é sempre preferível ventilação natural ao ar-condicionado, que quando utilizado em excesso pode ocasionar alergias", ressalta.

Água e suco de frutas para manter hidratação

Oferecer frutas como melancia, melão, abacaxi, manga, laranja, uva e kiwi são uma boa pedida, pois contêm alto teor de vitaminas e líquidos.

O pediatra explica ainda que, como a criança está aprendendo a identificar se sente sede ou fome, pode não saber pedir o que quer. A dica para tentar identificar se o bebê está ficando desidratado é observar a cor da urina e a frequência com que ela faz xixi. Uma cor mais escura e pouco volume indicam pouco consumo de água .

As crianças com menos de um ano precisam de atenção extra. Nader destaca que, se for observado qualquer sintoma diferente, pode ser um alerta para a desidratação. Febre, sede intensa, pele seca e sem elasticidade, olhos mais fundos e olheiras escuras, além da ausência de lágrimas ao chorar e, se nos bebês bem novinhos a moleira estiver mais baixa, é hora de procurar atendimento médico.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.