Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região PREJUÍZO DE R$ 600 MIL

Quadrilha é presa por aplicar Golpe da Venda da Casa

Polícia Civil fez prisões em São Leopoldo e Uruguaiana de grupo que fazia anúncios falsos de imóveis

Publicado em: 26.11.2021 às 19:18 Última atualização: 26.11.2021 às 19:20

Agentes Delegacia de Polícia de Esteio, com o apoio dos policiais civis de Naviraí (MS), deflagraram uma operação de combate aos crimes de extorsão e associação criminosa praticado por meio do "Golpe da Venda da Casa". 

Os agentes cumpriram quatro mandados de prisão preventiva e três mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados, nas cidades de São Leopoldo e Uruguaiana. Os presos foram encaminhados ao sistema prisional do Rio Grande do Sul e de Mato Grosso do Sul.

Agentes da Polícia Civil gaúcha e do Mato Grosso do Sul cumpriram os mandados nesta sexta-feira
Agentes da Polícia Civil gaúcha e do Mato Grosso do Sul cumpriram os mandados nesta sexta-feira Foto: Polícia Civil/Especial

A delegada Luciane Bertoletti, que coordenou a ação, destacou "que a investigação apurou, ao menos, nove vítimas do esquema e que o valor subtraído pode chegar a R$ 600 mil”. O diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (DPRM), delegado Mario Souza, afirmou que o objetivo agora é de identificar outras prováveis vítimas do golpe, alertando a população para que, quando forem adquiriu um imóvel, procurarem instituições com alguma credibilidade e desconfiarem quando o preço for muito abaixo daquele praticado no mercado.

O golpe

O golpe consiste no anúncio de venda de um imóvel nas redes sociais muito abaixo do valor de mercado. Os golpistas utilizam sites renomados e destinados a compra e venda imóveis, a fim de não levantar qualquer suspeita. A vítima interessada contata os extorsionários que a direcionam para uma conversa privada via WhatsApp.

Em seguida, é feito o convite e definida uma data para visitação e vistoria no imóvel. Após a negociação e o acerto do valor da entrada, com o pagamento do sinal, a vítima é levada ao tabelionato para os trâmites burocráticos, contudo é apenas realizado um simples reconhecimento de firma das assinaturas.

Passado o período acordado para a efetiva entrega do imóvel e imissão na posse, a vítima ,que já pagou parte significativa do valor da compra, em torno de 70%, é ameaçada e constrangida pelo criminoso, que informa ser o real proprietário do bem e alegando que a venda foi feita por sua ex companheira, sem o seu consentimento.

A partir desse momento o criminoso passa a amedrontar a vítima, ameaçando-a de morte e de colocar fogo no bem, caso se aproxime da casa. Ainda, informa ser presidiário e faccionado, com todo os meios a sua disposição para que o negócio não se concretize. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.