Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região PESO NO BOLSO

Combustível fica mais caro e postos da região já reajustaram preços

Petrobras anunciou novo reajuste para gasolina e do diesel e aumentos já iniciaram na segunda-feira

Por João Linden
Publicado em: 25.10.2021 às 21:20 Última atualização: 26.10.2021 às 07:58

Os aumentos nos preços dos combustíveis estão tão frequentes que ficou bem complicada a tarefa de noticiar esses novos reajustes de maneira original e criativa. Mais difícil que isso, contudo, será encher o tanque do veículo a partir desta terça-feira (26), quando os postos já devem praticar preços mais caros para o diesel e a gasolina.

O motivo também não é novidade: a Petrobras anunciou novo acréscimo para venda dos produtos para as distribuidoras do País. Embora alguns postos tenham segurado o reajuste na bomba, outros já fizeram isso na tarde desta segunda-feira (25).

Preço da gasolina em posto
Preço da gasolina em posto Foto: Inézio Machado/GES

Conforme o comunicado feito nesta segunda pela estatal, o litro da gasolina sairá de sua refinaria R$ 0,21 mais caro. O preço médio passará de R$ 2,98 para R$ 3,19. Já o diesel terá o seu preço médio reajustado em 28 centavos, indo de R$ 3,06 para R$ 3,34. Todas essas mudanças já estarão em vigor a partir desta terça-feira.

No mesmo comunicado, a empresa disse que o aumento médio sentido pelos os consumidores na bomba seria de R$ 0,15 no litro da gasolina. O cálculo feito pela Petrobras parte do preceito de que o combustível que sai da refinaria ainda passa por uma mistura com etanol anidro - que não teve aumento oficializado - antes de chegar ao seu veículo (a proporção é de 27% de etanol para 73% de gasolina).

Os 15 centavos de aumento divulgados são questionados pelo economista e professor da Universidade Feevale José Antonio Ribeiro de Moura. Ele ressalta que há outras variáveis não consideradas e que devem pesar negativamente no bolso do consumidor final. Entre elas está o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Com a soma do tributo, a tendência é de que o reajuste seja muito superior, pois ele é calculado sempre em cima do preço médio final dos produtos - o que aparece nas bombas de abastecimento.

Para piorar a situação, no RS se paga uma das maiores alíquotas de ICMS - que é estadual - do País sobre a gasolina: 30%. Em setembro, o governo apresentou a Lei Orçamentária Anual que prevê a redução desta tarifa para 25% em 2022.

Filas nos postos antes dos aumentos

Em um posto de combustíveis do bairro Ideal, pequenas filas de veículos se formaram no final da tarde de segunda. A maioria era composta por clientes em carros que buscavam gasolina com o preço de antes do reajuste. Entre eles estava o projetista Guilherme Galzer, 27 anos, que ainda tinha o tanque de seu automóvel cheio pela metade. "Vi na Internet que ia ficar mais caro amanhã (terça) e resolvi completar o tanque", explicou.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.