Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região OPERAÇÃO TOKYO

Preso sétimo membro da quadrilha que enterrava droga em tonéis no mato em Novo Hamburgo

Suspeito que provocou início da investigação foi encontrado neste domingo na casa dos pais, no bairro Guarani

Por Silvio Milani
Publicado em: 24.10.2021 às 21:29 Última atualização: 24.10.2021 às 21:32

O investigado que deu início e nome à Operação Tokyo, desencadeada na sexta-feira em Novo Hamburgo, com seis prisões, foi capturado na tarde deste domingo (24). Agentes da 1ª Delegacia de Polícia da cidade surpreenderam Luis Felipe dos Santos, o Japa, de 32 anos, na casa dos pais, no bairro Guarani, por volta das 16 horas. Segundo o delegado Tarcísio Kaltbach, ele integra a quadrilha que escondia droga em tonéis enterrados no mato, no bairro Vila Diehl, onde foram apreendidos 184 quilos de maconha e skunk no fim do mês passado.

Tonéis recheados de maconha foram encontrados em mata
Tonéis recheados de maconha foram encontrados em mata Foto: Polícia Civil

O delegado conta que tudo começou quando Japa foi detido com 39 comprimidos de ecstasy e 17 pontos de LSD na madrugada de 1º de fevereiro deste ano, pela Guarda Municipal, na Avenida Nicolau Becker, no Guarani, onde ele dormia em um carro. Pouco antes, por volta das 4h30, fazia zigue-zague na área com o mesmo automóvel.

“A partir desse fato, rastreamos a possível rede de tráfico desse indivíduo e chegamos a uma espécie de depósito subterrâneo da quadrilha em mata fechada”, frisa Tarcísio.

Tinha 'supermaconha'

O delegado se refere à etapa seguinte da Operação Tokyo, que foi a incursão de seis horas na vegetação de difícil acesso aa Vila Diehl, quase no limite com Dois Irmãos, entre a manhã e início da tarde de 27 de setembro. Com o apoio da Brigada Militar, os policiais civis encontraram 166 quilos de maconha e 18 quilos de skunk, considerada a "supermaconha", enterrados em tonéis azuis.

Distribuição na região

A apreensão de quatro quilos de cafeína, usados no preparo de cocaína, indicavam que o ambiente servia para camuflar vários tipos de droga. Os cinco tonéis vazios apontavam retirada recente para distribuição em pontos de venda. Foram também apreendidos uma pistola 9 milímetros, três carregadores e 130 munições do mesmo calibre, além de três carregadores e 19 munições de fuzil calibre 762.

Seis bairros com 17 mandados de busca

A terceira etapa da Operação Tokyo foi cumprir 17 mandados de busca distribuídos nos bairros Santo Afonso, São Jorge, Boa Saúde, Operário, Rondônia e Guarani, a partir das 6h30 de sexta. Mais de 100 policiais civis e 15 militares participaram. Seis foram presos em flagrante com maconha, cocaína, ecstasy, LSD, munições, balanças de precisão, embalagens, dinheiro e cadernos de anotações.

Mais de cem policiais civis e militares participaram das buscas no amanhecer de sexta-feira
Mais de cem policiais civis e militares participaram das buscas no amanhecer de sexta-feira Foto: Polícia Civil

“São objetos que deram materialidade às prisões em flagrante e subsídios para análise de mais provas contra os investigados e outros possíveis envolvidos na continuação do inquérito”, ressalta o delegado.

Juiz decreta quatro prisões e três solturas

Na tarde de sábado, o juiz plantonista Ulisses Grabner decretou a preventiva de três, pela reincidência e provas, e concedeu liberdade provisória aos outros três, ao levar em conta que são réus primários. Ainda mandou prender Japa, que não estava em casa na sexta. “As evidências dão conta de seu intenso envolvimento com o tráfico de drogas e entorpecentes apreendidos”, despachou o magistrado. O investigado será interrogado nesta segunda (25) porque o defensor não estava por perto no domingo. A reportagem não localizou o advogado.

Suposto guardião do estoque continua solto

O guardião dos tonéis recheados com droga no mato seria um morador da Rua Arthur Momberger, que não foi localizado na sexta. Foi a partir da casa dele que os policiais foram encontrando e desenterrando o material das 7 às 13 horas de 27 de setembro. O homem de 28 anos não estava na residência também naquele dia, mas um cunhado, de mesma idade, foi indiciado por posse de droga. No pátio, no meio de uma horta de legumes, havia um pé de maconha com folhas secas.

O imóvel era uma espécie de epicentro do depósito subterrâneo de tonéis até a parte mais alta de um barranco, a 180 metros de altura. Do outro lado, já é Dois Irmãos. Segundo o delegado, a suspeita é que a droga chegava em carregamentos para ser armazenada nos tonéis. Não era ponto de venda direta ao usuário. Os gerentes de pontos de tráfico da região buscavam para abastecer a clientela.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.