Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região CRIME NA REGIÃO

Paraguaios em situação semelhante à escravidão trabalhavam na fabricação de cigarros clandestinos

Produção ilegal que faturava até R$ 50 milhões por mês foi desarticulada em operação conjunta

Publicado em: 19.10.2021 às 13:12 Última atualização: 19.10.2021 às 21:58

A Polícia Federal e a Receita Federal desarticularam uma organização criminosa dedicada ao contrabando e à produção clandestina de cigarros no Estado por meio da Operação Tavares. Ainda não há um quantitativo final, pois os dados e investigações seguem em andamento, mas trata-se de uma das maiores operações do ano contra esse crime e um marco na história do Rio Grande do Sul por meio do trabalho conjunto para desorganizar o esquema.

“A Operação desencadeada na manhã desta terça-feira, a partir de um esforço de áreas repressivas do Estado, inicialmente tratava do contrabando de cigarro. Mas, mais do que isso: existia a fabricação de cigarro operando há muito tempo. Uma operação por ciclos que dificultava as investigações. Uma Organização formada e estruturada para o comércio e produção. Havia corrupção de menores, pois um dos principais membros da organização é um adolescente”, destaca Wilson Klippel Cicognani Filho, Delegado da Polícia Federal e responsável pela investigação.

Conforme dados apresentados na coletiva na sede da PF, o cigarro dessa organização tinha uma contribuição de 50% no mercado do Estado. O potencial de produção era de 20 mil caixas por mês. Conforme a PF, algo em torno de dez milhões de maços se cigarros. As investigações apontam que esquema criminoso também contava 18 paraguaios na produção em condição análoga a de escravo. Na lista ainda crimes contra o meio ambiente, além dos danos para a indústria nacional e para Fazenda Pública.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.