Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região RECUO DA PANDEMIA

Redução de casos Covid aumenta disponibilidade de leitos para outras doenças na região

Cidades já desmobilizam estruturas criadas para atender pacientes com coronavírus

Por Joceline Silveira
Publicado em: 24.09.2021 às 03:00 Última atualização: 24.09.2021 às 10:54

A pandemia ainda é motivo de atenção e preocupação para a saúde em todo o País, mas no Estado a redução gradativa de alguns índices está permitindo a conversão de leitos destinados anteriormente à pandemia para atender outras doenças. Também, em outros casos, está havendo a redução ou remanejo de serviços exclusivos para coronavírus na região.

Centro de Triagem Covid-19 de Novo Hamburgo ficava junto ao Hospital Municipal
Centro de Triagem Covid-19 de Novo Hamburgo ficava junto ao Hospital Municipal Foto: PMNH / Divulgação

Algumas cidades já desmobilizaram estruturas dedicadas à pandemia ou têm planos de fazer essa redução. Em São Sebastião do Caí a situação é emblemática. A cidade do Vale do Caí, onde vivem 25.959 mil pessoas, suspendeu no final de julho o atendimento no plantão Covid do ambulatório central nos finais de semana. Na época o universo de pacientes com o vírus era 23% menor se comparado ao mês de janeiro. No mês seguinte essa redução chegava a 76,17%. De 256 casos em janeiro, foram 61 em agosto, conforme informações da assessoria de comunicação da prefeitura.

Leia notícias sobre coronavírus

Atenção

Apesar do otimismo, a gestora da Saúde, Neiva Teresinha Rosa dos Santos , mantém cautela em razão da variante Delta. Por isso, tem acompanhado o desenrolar da pandemia em outros Estados, onde a variante está se disseminando. "As novas variantes identificadas nos últimos meses têm um potencial de transmissibilidade e letalidade maior que as anteriores. Mesmo com grande parte da população com esquema vacinal completo, temos diagnosticado pacientes com Covid. É importante manter a vigilância", argumenta.

Tendência

O presidente do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems/RS), Maicon Lemos, argumenta que o reordenamento dos leitos dos hospitais e estruturas que realizaram o atendimento de pacientes com Covid-19 tem acontecido de forma dinâmica e gradativa, conforme a diminuição do número de internações verificadas por unidade, desde o mês de junho, voltando a atender pacientes de outras enfermidades.

"Hoje a demanda tem sido muito baixa, logo os serviços de saúde tradicionais como as UPAs e os postos de saúde ao receber um caso sintomático respiratório já têm um protocolo interno para fazer o procedimento, e estruturas extras, como na urgência-emergência Covid e outras que foram postas para o atendimento exclusivo de coronavírus, tendem a ser extinguidas", explica Lemos.

Entretanto, Lemos ainda recomenda cautela com o cenário epidemiológico na região. "O momento ainda é de avaliação, ao que parece a Delta não tem ganhado força, pelo menos nesse período. Ou seja, o processo vacinal, os protocolos municipais e também o apoio na testagem vêm dando resposta e a estrutura de leitos não está sendo ocupada de maneira plena. Mas não podemos baixar a guarda."

Como cidades da região se programam

Novo Hamburgo

Em agosto foi a vez de Novo Hamburgo remover a estrutura do Centro Covid, montado em março de 2020, junto ao Hospital Municipal. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) retirou os toldos da cobertura externa e ainda um anexo temporário que foi montado durante o maior pico da pandemia.

A medida levou em conta a queda significativa no número de atendimentos. "Diante da diminuição dos casos e internações, não se justifica o alto custo", explicou o secretário de Saúde, Naasom Luciano. Ele acrescenta que em caso de necessidade estes leitos poderão ser novamente alocados para Covid-19.

Taquara

Em Taquara, a Secretaria da Saúde menciona, em nota, que "o número de atendimentos no Centro Covid tem reduzido desde a ampliação da vacinação".

Em março, o local chegou a atender mais de 300 pessoas por dia. Em setembro, a média tem sido de 40 atendimentos diários. "Em razão disto, o Centro Covid, que em março havia se instalado em prédio de 1,5 mil metros quadrados cedido por um empresário, retornou ao endereço do bairro Santa Teresinha", informa comunicado.

Estância Velha

O Hospital Getúlio Vargas está reduzindo leitos para Covid. De acordo com a prefeitura, esse planejamento é gradual e acertado semanalmente. Cerca de 17 dos 22 leitos da Ala Covid deixaram de ser exclusivos.

"Estamos atendendo em unidade mista, quando as internações para Covid chegam a menos de um quarto do total da área, podemos disponibilizar atendimento a pacientes com outras patologias", informou nota.

Mas a estrutura para atender pessoas com coronavírus continua robusta. "Toda rede de atenção básica segue a mesma disponibilizada no pico da pandemia, como os atendimentos no Centro Covid e a disponibilização de 200 testes PCR por semana", diz comunicado.

Dois Irmãos

Segundo a secretária de Saúde de Dois Irmãos, Aneliese Kich, com mais de 70% da população vacinada pelo menos com a 1ª dose, houve diminuição significativa nos atendimentos de Covid-19, "o que comprova a eficácia da vacina, independente de laboratório". "Pretendemos reorganizar os fluxos de atendimentos, visto que no momento não é mais tão necessária a estrutura atual. Os serviços essenciais serão mantidos", completa Aneliese.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.