Publicidade
Notícias | Região LEGADO

Escola de Ivoti destaca bicentenário de Mathias Schütz

Professor atuou por décadas em prol da educação e completaria 200 anos neste mês de agosto

Por Moacir Fritzen
Publicado em: 20.08.2021 às 05:00 Última atualização: 20.08.2021 às 11:51

O mês de agosto é especial para professores, estudantes e funcionários da Escola Estadual de Educação Básica Professor Mathias Schütz, em Ivoti. O bicentenário do professor Mathias Schütz será celebrado em 21 ou 23 de agosto - existem documentos que registram o nascimento dele em 21 de agosto de 1821, enquanto na lápide no cemitério católico de Ivoti consta a data de 23 de agosto.

Cleia (à esquerda) e Roseli junto da obra de arte que retrata Schütz Foto: Moacir Fritzen/GES-Especial

Por causa da pandemia de Covid-19, as homenagens são restritas. "Mas não queremos deixar a data passar em branco", comenta a professora Roseli Froehlich Kohl, cujos avós maternos moraram na mesma casa que já pertenceu ao educador e onde ele lecionava no século 19. A moradia ainda existe no Buraco do Diabo, mas hoje é propriedade de outra família.

A diretora Cleia Severo destaca que a escola tem duas pinturas que retratam Mathias Schütz, além da biblioteca manter material sobre ele no acervo. "É importante para que as pessoas conheçam a história dele", ressalta.

Schütz nasceu em Tholey, na Alemanha, mas migrou para Brasil em 1846. Além de sua contribuição como um dos primeiros professores da comunidade, ele atuou na Igreja Católica durante décadas e foi responsável pelo coral.

Contribuição à comunidade

Segundo consta no livro Bom Jardim-Ivoti no palco da história, Mathias Schütz inclusive deu aulas a crianças durante a travessia do Atlântico.

Quando o professor chegou a Porto Alegre no dia 21 de setembro de 1846. "Por um capricho do destino, neste período estava sendo procurado um professor para Bom Jardim por pessoas encarregadas pelos imigrantes alemães dessa localidade", destaca um trecho da obra. Bom Jardim era a denominação de Ivoti no passado.

Ele foi regente do coral da Igreja Católica de Ivoti de 1849 a 1895. Schütz tinha habilidades com música, pois além de cantar, também sabia tocar violino e piano. Na Igreja, também presidia celebrações religiosas quando o sacerdote estava ausente.

As aulas e a escola

Segundo consta no livro Bom Jardim-Ivoti no palco da história, Mathias Schütz deu aulas em três locais diferentes durante os três primeiros anos após a sua chegada à Colônia, incluindo uma casa e um salão.

Na década de 1850, ele adquiriu um imóvel e começou a ministrar as aulas na sua própria casa. Essa residência está conservada até os dias atuais e possui o nome de Mathias Schütz escrito no umbral da porta e a indicação do ano de 1854. A moradia histórica pertence a outra família atualmente.

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.