Publicidade
Notícias | Região Tarifa

Municípios estão insatisfeitos com instalação e mudanças de pedágios

Vale do Caí e Paranhana promovem encontros para debater o tema

Por Bruna Mattana
Publicado em: 07.07.2021 às 15:15

A instalação de novas praças de pedágio na região tem sido motivo de encontros de prefeitos e lideranças na região. Na manhã desta quarta-feira (7), no auditório do campus da Universidade de Caxias do Sul (UCS) de São Sebastião do Caí, ocorreu uma reunião promovida pela Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (Amvarc) para tratar sobre o remanejo e instalação de novos pedágios. O secretário extraordinário de parceiras do Estado, Leonardo Busatto, também participou do encontro. 

Secretário extraordinário de parceiras do Estado, Leonardo Busatto, participou do encontro Foto: Divulgação

Segundo o presidente da Amvarc e prefeito de Portão, Kiko Hoff, a entidade é totalmente contrária à medida. "Não podemos aceitar essas mudanças assim, que estão ocorrendo a toque de caixa, em um momento em que a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) está saindo e não sabemos como ficará a situação das rodovias. A instalação de pedágios é um atraso para qualquer município. Ninguém quer. Empresas não querem se instalar onde tem pedágio", salienta.

Conforme Busatto, a proposta do Governo é dividir o pedágio do quilômetro zero da RS-122 em dois, deixando um na mesma rodovia, porém mais à frente de onde está atualmente, e outro na RS-240, em direção à Montenegro. Nesta terça-feira, o anúncio da intenção do governo do Estado de instalar uma praça de pedágio em Capela de Santana, no quilômetro 25 da RS-240, provocou descontentamento na população da cidade, que foi às ruas protestar. 

"A ideia inicial era que esse pedágio ficasse em Montenegro. Mas a partir de uma nova análise a sugestão foi para que sua instalação ocorresse em Capela de Santana. Na reunião de hoje (quarta) ouvimos as lideranças, prefeitos, e vamos analisar a possibilidade dele ir para outro local", disse Busatto.

O deputado Issur Koch, que também participou da reunião, reforçou sua indignação em relação a maneira como "o governo conduz, mais uma vez, uma situação tão importante para o cidadão gaúcho, que vai ferir o bolso de todos nós." 

Presenças

Participaram do encontro os prefeitos de Portão (Kiko Hoff), Vale Real (Pedro Kaspary), São Sebastião do Caí (Júlio Campani), Feliz (Junior Freiberger ), Alto Feliz ( Robes Schneider), Capela de Santana (Alfredo Machado), Montenegro (Gustavo Zanatta), Brochier (Clauro Josir de Carvalho), São José do Sul (Juli Bender), Pareci Novo (Paulo Alexandre Barth), São Pedro da Serra (Isabel Cornelius) e Salvador do Sul (Marco Eckert).

Audiência no Paranhana

A Associação dos Municípios do Vale do Paranhana (Ampara) realizará na quinta-feira (8), às 19 horas, no auditório da Faccat, em Taquara, uma Audiência Pública para debater sobre a possível transferência de uma praça de pedágio para Parobé, e sobre a criação de mais duas em outras cidades do Vale do Paranhana. O encontro foi definido em reunião extraordinária realizada na tarde de segunda-feira (5), na prefeitura de Taquara, pelos prefeitos das cidades que compõem o grupo da região.

Foram convidados para a audiência vereadores, instituições representativas, deputados estaduais, autoridades locais, além de representantes do Governo do Estado. “Está faltando muito diálogo por parte do Estado nesse processo de mudança e instalação de novas praças de pedágio que integram esse novo plano de concessão. Faltam informações sobre as intenções do Palácio Piratini e, em nenhum momento, fomos convidados a participar desta discussão durante a elaboração desse plano, sendo que essas praças de pedágios impactarão diretamente a vida econômica de nossas comunidades e que, nos moldes em que estão sendo apresentadas, irão certamente atrapalhar ainda mais o desenvolvimento da região que ainda enfrenta a crise econômica da pandemia", destaca o presidente da Ampara e prefeito de Parobé, Diego Picucha.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.