Publicidade
Notícias | Região Refinaria

Ultra está mais perto de ser nova dona da Refap

Negócio pode chegar a 1,4 bilhão de dólares. Petrobras está em fase de negociação com empresa que controla a rede de postos Ipiranga. Refinaria gera R$ 360 milhões/ano de ICMS

Por Shállon Teobaldo
Publicado em: 21.01.2021 às 03:00 Última atualização: 22.01.2021 às 08:13

A Petrobras anunciou que recebeu proposta vinculante para compra da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), em Canoas, e está em fase de negociação com a empresa.

A Ultrapar, também conhecida como Grupo Ultra, é a principal interessada e possível nova dona da estatal na cidade. A companhia também controla outra marca conhecida, a rede de postos de combustíveis Ipiranga. O mercado especula valores entre 1,2 bilhão e 1,4 bilhão de dólares (R$ 6,3 bilhões), mas o processo é sigiloso.

Conforme o Presidente do Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Sul (Sindipetro RS), Fernando Maia, ainda não houve retorno do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que recebeu pedido de suspensão da venda da refinaria. A tentativa de travar a venda tem 15 dias e foi feita por distribuidores de combustíveis.

"Continuamos agindo para evitar esse processo de privatização. Estamos apontando as irregularidades e os prejuízos de tornar a Refap num monopólio privado", destacou.

Até o fechamento do contrato, ainda existem outras fases com a Petrobras, que avaliará os valores propostos pela Ultra e abrirá para outras empresas, a fim de verificar se alguém tem interesse em pagar mais. Em não havendo novas interessadas, segue-se o processo.

"Estamos preocupados com a falta de ação dos governantes em relação a privatização, que afetará economia, empregos e meio ambiente da região", disse Maia, que solicitou uma reunião com o prefeito Jairo Jorge. A Refap gera R$ 360 milhões anuais com ICMS ao município.

As próximas etapas da privatização da refinaria, assim como de outras unidades no país, segundo a Petrobras, serão divulgadas ao mercado de acordo com a Sistemática para Desinvestimentos da companhia e com o Decreto 9188/2017.

Canoas quer garantias

Jairo Jorge enfatizou que a decisão de venda da Refap é do Governo Federal, e não do município. Entretanto, a gestão havendo a venda, a gestão municipal quer algumas garantias.

"Nossa maior preocupação é Canoas sair perdendo. Pela experiência anterior de privatização da refinaria, sabemos que houve queda na arrecadação de ICMS, então queremos que a empresa se comprometa em aumentar a produção para não prejudicar o município", pontuou o prefeito.

Tendo governado a cidade por oito anos antes de 2021, Jairo relembrou ainda o descaso da Petrobras, dizendo que a "refinaria na cidade foi esquecida pela estatal". Diante disso, espera estabelecer uma boa relação com a nova dona, para buscar, além da manutenção da renda, os empregos e o abastecimento integral para todo o Estado.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.