Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Mais segurança

Polícia declara estar aberta a temporada de caça a 'bandidos-tatu' em Canoas

Especialistas na arte de abrir buracos, criminosos responsáveis por arrombamento no bairro Niterói, na madrugada desta segunda-feira (17), costumam aparecer nesta época do ano

Última atualização: 17.02.2020 às 16:56

Delegada Miriam Luciana Thomé já assumiu a investigação do caso Foto: PAULO PIRES/GES
A própria Polícia Civil reconhece que existem "bandidos-tatu" responsáveis por uma série de saques a agências bancárias e caixas 24 horas no Estado. Assim, o crime ocorrido em um posto de combustíveis do bairro Niterói, na madrugada desta segunda-feira (17), não chega a ser novidade. Há criminosos que se especializaram em furar paredes de concreto com a mesma facilidade que qualquer um rasga uma folha de papel.

Conforme a delegada Miriam Luciana Thomé, que coordena a investigação do caso do posto de combustíveis arrombado, este tipo de delito sempre cresce nesta época do ano. Tudo por causa dos indultos de final de ano que favorecem apenados. Muitos, nunca retornam à prisão. "Ninguém se arrisca a cometer crimes de furto e arrombamento como estes do dia para a noite", explica. "São criminosos com larga experiência, que sabem exatamente o que estão fazendo e o tempo de resposta da polícia."

Não raro, eles caem nas mãos da polícia. Foi na noite de 14 de novembro que, os moradores, ao perceberem um movimento considerado para lá de suspeito no Mathias Velho, evitaram o arrombamento da agência do Banco do Brasil que fica no bairro. Um policial civil de folga recebeu a informação do crime. Ele próprio foi para o local e o resultado foi a prisão de criminosos enquanto furavam a parede da agência. "Não há dúvida alguma que se a polícia não tivesse agido, pela manhã, talvez não sobrasse um centavo sequer naquela agência", afirmou na época o delegado Pablo Queiroz, que coordenou a captura dos criminosos.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.