Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Polícia

Em 2019, 47 famílias tiveram as casas roubadas em Canoas

Número representa uma redução de 32% se comparado ao ano anterior, quando foram cometidos 70 crimes desta natureza

Última atualização: 14.01.2020 às 08:25

Operação Inviolável contribuiu para a redução de crimes em Canoas Foto: POLÍCIA CIVIL/DIVULGAÇÃO
Neida Soares, 57 anos, ficou com o coração na mão. Bandidos armados renderam a filha dela e invadiram a casa. Trancaram a filha e o neto no banheiro enquanto roubavam pertences. "Pegaram televisão e todos os eletrodomésticos que conseguiram", lembra. "Quase desmaiei quando fiquei sabendo. Ela ligou chorando, desesperada", conta. "Graças a Deus, ninguém machucou eles." Está em qualquer manual de psicologia criminal. Ter a casa invadida é um dos crimes mais sentidos pela população. Leva um bom tempo até que a vítima supere o trauma. "A Eduarda é casada, mas o marido não estava em casa naquela tarde. Até hoje ela tem muito medo de ficar sozinha. Acha que eles podem voltar."

Em 2019, 47 casas sofreram roubos ou furtos em Canoas. Quer dizer, o prejuízo aconteceu por bandidos armados ou por aqueles que, na surdina, levam tudo após arrombamentos. Mesmo que o número pareça alto, ele representa uma redução de 32% no roubo a residências se comparado ao ano anterior. Foram cometidos 70 crimes desta natureza em 2018. As polícias trabalharam muito para coibir os ataques. Ações pontuais da Brigada Militar (BM) no policiamento ostensivo foram centradas em locais que vivem na mira de criminosos. Por outro lado, a Polícia Civil conseguiu capturar criminosos que só trabalham com este tipo de delito. Tudo contribuiu para a diminuição das ocorrências. "Estamos trabalhando para diminuí-lo mais", afirma o coronel Jorge Dirceu Filho. "Não dá para aceitar trabalhadores, pais e mães de família sendo lesados deste jeito."


Quadrilha que amarrava e amordaçava moradores dentro de casa foi colocada em cana

Foi em julho que a Polícia Civil desencadeou uma ação classificada como fundamental para a redução dos crimes em Canoas. A chamada Operação Inviolável levou à cadeia seis homens que faziam parte de uma quadrilha que amarrava e amordaçava moradores dentro de casa durante os ataques. Nada menos de 30 crimes eram investigados na conta dos bandidos, que atacavam principalmente nos bairro Niterói e Nossa Senhora das Graças. Como de praxe, os criminosos sequer eram de Canoas. A maioria estava em Porto Alegre e Eldorado do Sul. Vinham de lá somente para roubar casas, usando de grande violência em cada crime. "Eles não se importavam nem se havia crianças na casa e agiam do mesmo jeito com violência", apontou o delegado Rodrigo Caldas, que coordenou a ação executada pela 2ª Delegacia de Polícia (DP).

Mais ataques entre o final e o começo do ano

Historicamente, os dados estatísticos de Canoas não diferem daqueles anotados em todo o Estado. Entre os meses de outubro e dezembro, existe uma alta no número de roubos com mão armada a residências, enquanto o início do ano aponta um número maior de furtos e arrombamentos a residência. Em 2018, entretanto, algo fora do comum aconteceu. Foram 28 crimes somente entre agosto e novembro, algo bem distante da média de dois a quatro crimes que eram registrados todo mês em Canoas.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.