Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região 16 Dias de Ativismo

Seminário debate atendimento a adolescentes em situação de violência

Evento foi realizado pela Diretoria de Política para Mulheres, vinculada à Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Participação Social (SMDHPS), e pelo CRM Patrícia Esber, com o apoio do Coletivo Feminino Plural.

Última atualização: 09.12.2019 às 08:50

Desde fevereiro deste ano, o Centro de Referência para Mulheres em Situação de Violência Patrícia Esber, de Canoas, passou a atender também adolescentes a partir dos 14 anos. Ao todo, já foram atendidas 36 vítimas de violência de gênero. Com o objetivo de apresentar essa experiência para a sociedade e fortalecer o diálogo com a rede de proteção às crianças e adolescentes, foi realizado o seminário “A experiência de atendimento às adolescentes no CRM Patrícia Esber” na manhã desta sexta-feira (6).

O seminário integra a programação dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres e reuniu profissionais da rede de enfrentamento à violência, que também debateram sobre o contexto da violência contra às adolescentes no município e a importância da perspectiva de gênero na política de proteção à criança e adolescente.

A ampliação da política de enfrentamento à violência doméstica às adolescentes foi uma iniciativa da vice-prefeita, Gisele Uequed. “Com o atendimento especializado garantido, a nossa preocupação passou a ser as adolescentes a partir dos 14 anos, que são igualmente ou mais expostas às violências de gênero. Percebemos que essas jovens estão em um contexto ainda maior de vulnerabilidade, uma vez que possuem maior dependência financeira, menos autonomia e figuram em uma faixa etária com restrição dos mecanismos de proteção”, explica Gisele.

Segundo a coordenadora do CRM, Leina Peres, os dados apresentados pela Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (DPCA) e pelo CRM demonstram a gravidade do problema. “Acreditamos que a divulgação e ampliação desse atendimento especializado promoverá um impacto capaz de gerar uma nova realidade social em que as meninas e mulheres tenham o direito de viver uma vida livre de violências”, destaca Leina.

O seminário foi realizado pela Diretoria de Política para Mulheres, vinculada à Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Participação Social (SMDHPS), e pelo CRM Patrícia Esber, com o apoio do Coletivo Feminino Plural.

Centro de Referência para Mulheres

O CRM Patrícia Esber realiza cerca de 120 atendimentos mensais, auxiliando mulheres a romperem com a situação de violência. Após a primeira acolhida, elas passam a ter acompanhamento semanal ou quinzenal, conforme a necessidade. O CRM também realiza campanhas preventivas e acolhida de mulheres em situação de violência com atendimento e acompanhamento psicológico, social, orientação jurídica e encaminhamento para os demais órgãos da rede de proteção. Para as adultas, o objetivo é o atendimento multiprofissional, recorrendo ao sistema de proteção legal e social, judicial, de segurança pública, saúde, assistência social e o fortalecimento das mulheres através da promoção da sua autonomia.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.