Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Literatura com sabão

O 'cara das bolhas', de Canoas, vai lançar seu livro em Cachoeirinha

Jonatan Ortiz Borges investe nos contos, lança obra e participa de contação no Ponto de Leitura Sol e Lua

Por Jeison Silva
Última atualização: 10.12.2019 às 10:26

Jonatan Borges Foto: Jeison Silva/GES/paulo pires/ges
Quando ele está caracterizado nos eventos, a criançada o chama de "O cara das bolhas". Também pudera: as bolhas gigantes de sabão fazem a alegra da gurizada e dão o que falar. O nome dele real do "cara das bolhas" é Jonatan Ortiz Borges, ele é ator, poeta, contador de histórias e mediador de leitura. Agora ele é também contista.

Na segunda, 23 de dezembro, às 17h, Jonatan Ortiz Borges estará em Cachoeirinha para encontrar a gurizada que frequenta a Praça e o Ponto de Leitura Sol e Lua. Vai ter bolhas gigantes e muita literatura autoral.

Jonatan lança o segundo livro independente, chamado "A menina que morria a cada maçã". "Não tenho ponto de venda, o foco é a literatura, quem tiver interesse pode encomendar um exemplar comigo mesmo", explica. "Só posso agradecer os parceiros que adquiriram o livro antes e ao Sesc que possibilitou que eu fizesse o lançamento lá", comentou ao DC, sobre o lançamento do livro que ocorreu em Canoas

É uma edição limitada, com 200 exemplares. "Escrevo de tudo um pouco, meu primeiro foi de poesias, o 'Eu, poéto', a ideia para um próximo é fazer um romance ou algo voltado ao público infantil", projeta. "A inspiração para 'A menina que morria a cada maçã' veio de um curso de mediação de leitura que fiz." Segundo Jonatan os contos remetem ao fantástico, mas com os pés fincados no real. "Há devaneios que remetem a seres míticos, mas alicerçados na vida real", conta. "Tem a tragédia, mas tem o sonho e tem fé, sempre num universo do onírico."

A capa foi desenhada pelo ilustrador e colaborador do DC, Emerson Wiskow. "O Jonatan passou um briefing, como estou nesta vibe de suspense e terror quis passar isso com estilo de quadrinhos", aponta. "Quis sair um pouco do tradicional das publicações na cidade, busquei uma coloração esverdeada quase um zumbi, o outro lado do conto de fadas não capa da Disney." Quem quiser adquirir um exemplar de "A menina que morria a cada maçã" pode ligar para o fone/whats 51-98918-8409.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.