Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Recolhidos

Após cancelamento de participação, autora tem livros retirados de escolas de Nova Hartz

Prefeitura informou que obra de Luisa Geisler não é adequada à faixa etária indicada

Por Bruna Mattana
Última atualização: 16.11.2019 às 14:49

Luisa Geisler Foto: Desirée Ferreira/Especial
O livro "Enfim, capivaras" da escritora Luisa Geisler, de 28 anos, foi retirado de escolas municipais de Nova Hartz e a participação da autora na 15ª Feira do Livro do município foi cancelada, com a justificativa de que o livro possui linguajar inapropriado para jovens.  A escritora, natural de Canoas, faria duas palestras no município no próximo dia 28, sendo que o convite ocorreu em julho deste ano. Vinte e cinco exemplares do livro foram adquiridos pela prefeitura e distribuídos às escolas municipais Maria Almerinda Paz de Oliveira, Primavera e Bernardo Lemke.

Luisa se disse incomodada com a maneira como as coisas aconteceram. "Por que então não levar esses livros para uma geração mais velha? Por que não pedir outros livros, talvez contos que não tenham palavrões? Se uso palavrões nos livros, é para suscitar uma discussão de linguagem. Livros não são manuais de bons costumes. Eles são para perturbar".

A secretária de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Nova Hartz, Veronice Zandoná, disse que não há nada contra a escritora, tampouco contra o seu trabalho. "Apenas entendemos que a linguagem usada no livro não é adequada à faixa etária indicada, uma vez que se trata de um livro infanto/juvenil, para adolescentes entre 11 e 14 anos". Ela destacou, ainda, que o objetivo é doar as obras à biblioteca pública ou às escolas estaduais, para jovens do ensino médio. Segundo Zandoná, os livros foram selecionados por indicação da produtora da feira.

"Lemos a sinopse e a indicação da faixa etária. Não lemos o livro antes de distribuirmos às escolas, mas quando as professoras começaram a trabalhar ele com os alunos, questionaram se seria adequado". O assunto também foi levado à tribuna pelo vereador Robinson Andrei Bertuol (PSC). "O livro possui palavras de baixo calão, totalmente inadequadas para uma criança de 12 anos. Falei com o prefeito que, se possível, tirasse da sala de aula, e graças a Deus foi atendido meu pedido".


Editora

A editora do livro Companhia das Letras publicou em sua página nas redes sociais um texto no qual afirma "repudiar" qualquer tipo de censura. "A Seguinte, selo jovem do Grupo Companhia das Letras, gostaria de declarar todo o seu apoio à Luisa Geisler, autora duas vezes vencedora do Prêmio Sesc de Literatura, além de finalista do Prêmio Machado de Assis, semifinalista do Prêmio Oceanos de Literatura e duas vezes finalista do Jabuti. Acreditamos que a literatura (e a arte, em geral) deve ser questionadora, e reforçamos nosso compromisso de nunca subestimar o leitor jovem, publicando obras que retratem as experiências dos adolescentes de forma honesta e que promovam o diálogo — como "Enfim, capivaras".

Produtora lamenta decisão

A produtora Simples Assim informou, em nota, que lamenta a decisão do cancelamento. "Participamos da Feira do Livro de Nova Hartz desde 2016. Discordamos e lamentamos muito a definição do cancelamento, por parte da prefeitura, da participação da escritora Luisa Geisler na 15ª Feira do Livro de Nova Hartz. Manteremos nosso trabalho na feira pelas responsabilidades já assumidas e também em respeito aos demais artistas convidados, livreiros e público agendado".

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.