Publicidade
Notícias | País CPI DA COVID

Senador Luiz Carlos Heinze assume vaga de Ciro Nogueira na CPI da Covid

Os dois são aliados do presidente Jair Bolsonaro e integram a tropa de choque do governo federal, que tem minoria na comissão e é o principal alvo da investigação até o momento.

Por Agência Estado
Publicado em: 07.06.2021 às 16:47

Senador Luis Carlos Heinze tem participado da CPI e defendido o Governo Bolsonaro Foto: Roque de Sá/Agência Senado
O senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS) assumiu a vaga de titular da CPI da Covid no lugar de Ciro Nogueira (PP-PI), que ficará fora do País nesta semana. Os dois são aliados do presidente Jair Bolsonaro e integram a tropa de choque do governo federal, que tem minoria na comissão e é o principal alvo da investigação até o momento.

Ciro Nogueira, que ficou como suplente do colegiado, pediu licença dos trabalhos no Senado para viajar aos Estados Unidos. A Casa autorizou a viagem e bancará as despesas do senador no período de 5 a 13 de junho. De acordo com requerimento assinado por ele, o parlamentar participará de uma missão oficial sobre telecomunicações em Washington e em Nova York a convite do Ministério das Comunicações.

Ao Broadcast Político, Heinze afirmou que Nogueira voltará à vaga de titular após o retorno da viagem. O senador do Rio Grande do Sul tem participado das sessões da CPI e defendido o governo federal com protocolos questionados por especialistas, como o uso do cloroquina contra a covid-19. O medicamento não tem eficácia comprovada contra a doença e se tornou um dos temas de responsabilização do Executivo na CPI.

Na prática, um titular tem prioridade na ordem de senadores inscritos para questionar as testemunhas convocadas para depor na CPI. Além disso, participa das deliberações e votações de requerimentos, funções que não podem ser exercidas por um suplente.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.