Publicidade
Notícias | Especial Coronavírus Primeiro aviso do Sistema 3As

Região de Canoas tem a 5ª menor proporção de vacinados com 2ª dose

Mais dois fatores contribuíram para o acionamento: aumento dos casos confirmados e da ocupação de leitos clínicos

Por Bruna Aquino
Publicado em: 10.06.2021 às 09:26 Última atualização: 10.06.2021 às 09:27

Em reunião ocorrida na terça-feira, o GT Saúde do governo gaúcho decidiu emitir um aviso à região Covid de Canoas (R08) devido à piora no quadro da pandemia. A informação foi confirmada ontem à tarde pelo Estado, após encontro entre os integrantes do Gabinete de Crise. A justificativa do Estado para o aviso a Canoas baseia-se em três fatores: aumento considerável no número de casos confirmados, alta na ocupação de leitos clínicos e baixo percentual de vacinados com a segunda dose de algum imunizante contra a Covid-19.

Quanto à crescente quantidade de casos positivos, o GT Saúde indica que a região de Canoas - composta por 18 municípios - apresentou incidência de novos casos de 230,7 confirmados por 100 mil habitantes na última semana, o que representa um aumento de 39,3%. Sobre a ocupação de leitos clínicos, os dados da região indicaram mais 1,9% internados na ala Covid, entre suspeitos e confirmados, somando 165 hospitalizados em leitos de enfermaria.

O terceiro motivo para o aviso é o baixo índice de pessoas que fizeram a segunda dose: 11,7%, a 5ª menor proporção entre as 21 regiões Covid-19. Em Canoas, 41.553 completaram a imunização (13,8% considerando 300 mil habitantes). Em Nova Santa Rita, são 2.804 (9,3% considerando 30 mil habitantes).

Apesar de julgar que o aviso deveria ter vindo antes, o cientista de dados e coordenador da Rede Análise Covid-19 Isaac Schrarstzhaupt vê no Sistema 3As uma efetividade maior do que o de bandeiras. "O aviso tem vindo muito mais cedo do que no sistema das bandeiras. Antes a cor da bandeira trocava quando já estava ruim. Eu, Isaac, daria o aviso antes, porque eu daria na reversão de tendência e não quando volta a subir."

Quanto à situação da região de Canoas, Isaac observa: "Dá pra ver que os casos vêm aumentando há pelo menos uma semana e a velocidade da queda já vinha caindo".

 

É preciso restringir

Questionado sobre o que os municípios da região podem fazer para tentar reverter a situação, Isaac aposta na restrição de circulação e na ampliação do esquema vacinal. "O patamar ainda está muito elevado. Deixou subir, vai ter que restringir até baixar o patamar. O ideal seria restringir agora para evitar uma disparada", avalia Isaac, recordando o período de bandeira preta no RS. "As atividades foram flexibilizadas, tem mais pessoas na rua e mais vírus circulando. A doença não tem um teto. Se tu deixa, ela cresce. Vemos os dados de mobilidade e tá uma loucura, as pessoas voltando para o trabalho presencial", complementa.

Dentro do cenário de pandemia vivido pelo País e pelo Estado, o cientista de dados tem uma frase impactante, mas que reflete a realidade: "O óbito é um indicador que eu chamo de colheita, que só acontece porque tu plantou os casos".

Nova demanda nos hospitais da região

Isaac cita um ponto crucial da piora no quadro geral da pandemia, tanto na R08 quanto nas demais regiões: os hospitais ainda têm pacientes do último pico e agora precisam lidar com a tendência de alta.

"Os nossos hospitais ainda não se livraram do pico passado. Eu sempre lembro que a alta hospitalar não é contagiosa. Pessoas curadas não geram outros curados. A queda é sempre mais demorada e ainda não conseguimos baixar o nível dos hospitais e estamos prestes a ver o aumento das internações", comenta.

Outro fator lembrado por Isaac é a chegada do frio, que deve aumentar ainda mais o número de internações. "Nessa época sempre temos um aumento de síndromes respiratórias, mesmo antes da pandemia, e supõe-se que vai acontecer nesse ano também, mas muito pior, pelas pessoas fechadas devido ao frio."

Avaliação do aviso pela Prefeitura

 O secretário de Governança e Enfrentamento à Pandemia, Felipe Martini, pondera o aviso: "Canoas não é uma ilha. Nós fomos a última região a receber um dos 3As do Governo do Estado, agora, um aviso. Canoas segue na contramão da curva acentuada da contaminação por Covid-19. Canoas tem 75% de ocupações de leitos de UTI e Caxias, tem 100% ocupados. Nós temos 700 canoenses que ainda dependem de segunda dose para fechar o esquema vacinal. Porto Alegre tem mais de 10 mil, Erechim tem 3.552. Canoas hoje tem o maior número de pessoas imunizadas com segunda dose. Canoas se preparou muito bem para o momento de apagão. A gente acaba sendo puxado muito pelos municípios que compõem a Região 08. Mas temos os melhores indicadores".

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.