Publicidade
Notícias | Especial Coronavírus Piora no cenário

Em bandeira preta, Canoas mantém protocolo vermelho, mas não descarta lockdown

Prefeito Jairo Jorge anuncia uma série de ações imediatas para fazer frente ao avanço da pandemia na cidade

Por Adriana Zottis e Bruna Aquino
Publicado em: 19.02.2021 às 22:39 Última atualização: 20.02.2021 às 12:48

"É um momento grave, não vamos recorrer da bandeira preta, mas seguiremos com protocolo de vermelha. Se chegarmos na próxima sexta-feira com este quadro, acredito que vamos precisar restringir ainda mais, adotando a bandeira preta, e a bandeira preta é lockdown”, afirmou na noite de ontem o prefeito Jairo Jorge, após reunião com secretários municipais.

Jairo destacou que desde o início de fevereiro o município passou de 90 casos por dia para 200 casos por dia, acendendo o alerta. E elencou uma série de medidas que serão adotadas imediatamente. “Nos últimos 40 dias, aumentamos 31 leitos de UTI Covid, passando para 74 e estamos com 90% desses leitos ocupados. São medidas, ações, que estamos desde o início do governo trabalhando para nos prepararmos para esta segunda onda", destacou Jairo. O prefeito informou que somente nas últimas 48 horas foram registrados 318 novos casos e nove óbitos no município. São 23.425 canoenses contaminados e 616 óbitos, no total.

Como medida emergencial, a Prefeitura vai abrir já neste domingo, das 8h às 20h, quatro Unidades Básicas de Saúde para atender pessoas que apresentem sintomas respiratórios: UBSs Guajuviras, União dos Operários, Upa Niterói e Upa do Idoso, no Rio Branco. Jairo também anunciou a abertura de mais leitos na cidade. “Já estávamos nos preparando e vamos abrir mais 20 leitos de UTI no Nossa Senhora das Graças a partir da próxima segunda-feira. Também é importante informar a decisão da suspensão das cirurgias eletivas", acrescentou Jairo.

Além disso, a Prefeitura vai reabrir a UPA Caçapava nos próximos dias. “Será a UPA Covid, que terá atendimento para todos os pacientes Covid. Junto com essa UPA, teremos um centro de testagem. Este é um momento que nós temos que agir”, reforçou o prefeito.

Crise anunciada

O rápido crescimento no número de casos confirmados de coronavírus observado nessa semana em Canoas já era um indício da situação confirmada ontem pelo governador Eduardo Leite: a região foi classificada com bandeira preta no mapa preliminar da 42ª semana do distanciamento controlado. O município de Canoas registra ao menos 23.107 pessoas infectadas e 607 óbitos decorrentes de complicações da Covid-19, além de 79,7% dos leitos de UTI Covid ocupados.

A rede municipal de ensino retomaria nesta segunda-feira as atividades da Educação Infantil, assim como a maioria das instituições privadas - para os ensinos Infantil, Fundamental e Médio. Conforme recomendação do Piratini, as aulas presenciais estão suspensas neste momento em todas as regiões em bandeira preta. "Para nós, a bandeira preta não foi novidade, até pelo crescente número de casos. Estávamos só esperando a definição do governo para conversar com a administração municipal. Nós defendemos que não haja retorno presencial até os professores serem vacinados", declarou o presidente do Sindicato dos Professores Municipais de Canoas (Sinprocan), Julio César Santos.

"O momento é muito grave. Houve um relaxamento da população gaúcha nos cuidados com a pandemia. O feriado, que era para descanso, foi utilizado por muitas pessoas para festas e aglomerações. Desde 1º de janeiro, a Prefeitura de Canoas ampliou o número de leitos de UTI Covid em 72%. Seguimos trabalhando para aumentar ainda mais a capacidade de atendimento. Mesmo assim, podemos chegar ao limite. A responsabilidade é de todos nós. É claro que estamos todos cansados, mas não podemos relaxar. Os próximos dias devem ser muito difíceis", enfatizou, em pronunciamento, o secretário de Governança e enfrentamento à Pandemia de Canoas, Felipe Martini.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.