Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Especial Coronavírus Assistência social

Situação de rua: o que é possível para reduzir os riscos de contágio

Estimativa da Prefeitura é de que pouco mais de cem pessoas adotem praças e outros locais públicos como abrigo

Por Jeison Silva
Última atualização: 25.03.2020 às 17:06

Em isolamento social: cerca de cem pessoas circulam pela cidade expostas ao novo vírus Foto: PAULO PIRES
Afastadas de casa por questões sociais, psicológicas ou econômicas, pessoas em situação de rua em Canoas acabam expostas ao contágio pela Covid-19. Ao circularem pela cidade são um fator a mais para o vírus ganhar força. Medidas estão sendo adotadas pela Secretaria de Desenvolvimento Social para auxiliar essa parcela da população neste momento de registro dos primeiros casos na cidade. Sabe-se que boa parte de homens e mulheres está enquadrada na faixa de maior risco, pela idade ou por doenças crônicas. O frio da rua que se intensifica a partir desta época é um fator que ameaça a saúde de todos, especialmente  a de quem dorme exposto numa laje fria embaixo de uma marquise. 

CONTEÚDO ABERTO | Leia todas as notícias sobre coronavírus 

Conforme a titular da pasta, Luísa Camargo, existem cem pessoas de outras cidades que circulam por aqui e entre dez e somente 15 que nasceram em Canoas. "Algumas equipes de outras cidades trazem esses homens e mulheres para cá e a Prefeitura de Canoas precisa lidar com essa questão", aponta. "Ao conversar com eles, utilizamos a lógica do convencimento, sugerimos que retornem às casas de familiares, e os vulneráveis buscamos encaminhar para uma acolhida no albergue." 

Em frente à Prefeitura é montada estrutura básica para atender população de rua Foto: PAULO PIRES
Há cerca de seis meses o albergue municipal está em reforma, depois da constatação de problemas graves na estrutura do prédio localizado no bairro Mathias Velho. "O planejamento era para um simples reforma do telhado, mas constatou-se risco de desabamento", esclarece Luísa. "Passamos a contar com um espaço temporário no bairro Harmonia, mas em vez das 20 vagas reduzimos para 15, agora por causa do risco do corona devemos reduzir mais três vagas."  No local, das 19 horas até às 7h do dia seguinte, as pessoas em situação de rua recebem roupas, alimentação, podem tomar banho e receber esclarecimentos sobre saúde e higiene - sendo encaminhadas para o Hospital de Pronto Socorro (HPSC) e Centros de Atenção Psicossocial (Caps) em caso de necessidade. "A gente sabe que não é fácil convencê-los a seguirem ao albergue ou buscar atendimento", ressalta a secretária. "O trabalho é aos poucos, estamos fazendo essa aproximação muito antes do atual cenário."  

A partir desta quinta-feira será retomados o consultório de rua, iniciativa que leva equipes de saúde até as homens e mulheres sem lar. A ronda social é outra ação para assistir essa população vulnerável. Na Praça da Emancipação, em frente à Prefeitura, são instalados banheiros químicos e chuveiros. Em outro ponto, uma carreta adaptada receberá chuveiros para uso dos moradores de rua. Os Centro de Referência de Assistência Social (Cras) seguem em funcionamento, com mudanças na equipe em razão aos riscos da Covid-19.  

*Doações podem ser encaminhadas diretamente à Defesa Civil, que concentra o recebimento no Centro Olímpico (Rua Araguaia, 1151 – Igara). O telefone do órgão é o  3476-3400. 

  

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.