Notícias | Eleições 2020 2º turno

Busato aposta em ficha limpa para reeleição

Atual prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato (PTB) falou sobre segundo turno em entrevista à rádio ABC 103.3 FM nesta quarta-feira (18)

Por Shállon Teobaldo
Publicado em: 19.11.2020 às 08:40 Última atualização: 23.11.2020 às 09:29

Atual prefeito de Canoas pede que população não se abstenha de votar no dia 29 Foto: PAULO PIRES/GES
Candidato à reeleição para a Prefeitura de Canoas pelo PTB, o atual gestor municipal, Luiz Carlos Busato, falou sobre o segundo turno e suas diferenças para o opositor, Jairo Jorge (PSD), em entrevista na manhã desta quarta-feira (18), no programa Ponto e Contraponto, da Rádio ABC 103.3 FM. No último domingo (15), Busato fez 54.903 votos, representando 34,48% do total e ficando atrás do concorrente por 10,72%.

Questionado pelo jornalista e apresentador João Carlos Ávila sobre como vai recuperar a diferença de votos e porque merece ser novamente o prefeito do município, o candidato respondeu que aposta em sua ficha limpa. “Diferente do meu opositor, que foi condenado em primeira instância a devolver R$ 750 mil da merenda escolar em Canoas, eu não tenho nenhum ato de corrupção, sou ficha limpa, pesquise e veja. Tenho, sim, uma condenação de R$ 300 mil porque dei um cartão de R$ 150,00 para a população carente durante a pandemia e tirei foto. Meu erro foi tirar e postar a foto, mas não errei em dar a ajuda para os canoenses”, afirmou.

Busato pôde ampliar, ainda, questões sobre seu plano de governo para os próximos quatro anos, caso vença o pleito do dia 29. Por conta da pandemia de Covid-19, foi enfatizada a parte em que a campanha fala sobre economia, trabalho e renda - áreas extremamente afetadas pela crise. O candidato enfatizou que, em primeiro lugar, está a recuperação das pequenas empresas e, para isso, existe uma parceria com o Sebrae a fim de incentivar a reinvenção dos pequenos negócios da cidade. Outra proposta é levar o Banco de Oportunidades, que hoje funciona no site da Prefeitura, para os bairros, aproximando quem precisa de emprego dos empregadores.

A cada questão, além de responder referente ao seu governo e planejamento para o mandato 2021-2024, o atual prefeito aproveitava para salientar os defeitos do opositor, que foi prefeito de Canoas durante oito anos. Além disso, queixou-se de, no primeiro turno, não ter tido chance de desenvolver melhor as ideias por conta da quantidade de candidatos. “Agora é uma disputa nova, vamos poder comparar dois candidatos apenas, debater e apresentar de forma mais direta nossas ideias. Todos os eleitores dos outros candidatos vão migrar para um ou para outro. A maioria dos demais partidos são de centro e direito e a minha candidatura é de centro direita, diferente do oponente, que é um esquerdista disfarçado”, pontuou.

Ações de governo

Afora o que ainda pretende fazer, Busato utilizou o espaço para citar também o que fez à frente do Executivo Municipal. “O primeiro ano do nosso governo foi de colocar a saúde em ordem, recebemos do governo anterior um caos, 153 mil pessoas na fila aguardando consultas, exames, cirurgias. Trabalhamos para colocar em dia, hoje são 8 mil, ainda tem muito o que fazer, mas melhorou bastante”, disse. O candidato destacou ainda agora, em 2020, seu último ano, a pandemia esteve presente, impedindo outros avanços. No mais, reforçou sobre as 500 obras feitas em quatro anos, 15 unidades de saúde da família, benefícios para as 84 escolas municipais e, mais recentemente, a testagem em massa de 70 mil idosos na cidade para se adiantar diante da segunda onda de coronavírus. “Quero que a população entenda que nenhum prefeito deixa a cidade 100% em quatro anos, mas fiz 3 vezes mais que o opositor em 8”, garantiu.

Candidato acredita em mais adesão

Em relação a alta taxa de abstenção no primeiro turno, que chegou a 70.750, ou 28,22% do total, Busato acredita que para o segundo turno o cenário será diferente, e pediu apoio da imprensa no incentivo aos cidadãos para que votem. “Independente do titular que concorreu pelo partido dizer que apoia ou não, o eleitor que apoiava outro vai fazer sua escolha. A arma do eleitor é o voto e no dia 29 os canoenses vão definir o futuro da cidade. Se abster é dar alvará para que qualquer político faça a gerência da vida da pessoa”, apontou. O atual prefeito já recebeu o apoio de Capitão Nascimento (PSC), e informou que, ainda hoje, deve ter a determinação do apoio de mais um partido.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.