Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Canoas 'Só olhando, por enquanto'

Quanto custa para enfeitar a sua casa neste Natal?

A um mês da celebração, canoenses vão às ruas pesquisar os preços

Publicado em: 25.11.2021 às 11:31 Última atualização: 27.11.2021 às 10:50

Comerciantes observam a data como decisiva para alavancar negócios neste ano
Comerciantes observam a data como decisiva para alavancar negócios neste ano Foto: PAULO PIRES/GES-ESPECIAL
Madruga Júnior saiu de casa na manhã desta quarta-feira (24) com a missão de pesquisar os preços de uma árvore de Natal. "Não posso gastar muito. Então o negócio é procurar". Em meio a jornada, deparou-se com preços de até R$ 1.600 no Centro de Canoas. "Está muito salgado", suspirou.

Faltando um mês para o Natal, o aposentado de 60 anos não era o único pesquisando preços para enfeites ontem. A procura tem sido significativa, embora a maioria das pessoas esteja "apenas olhando", conforme apontou o vendedor Rogério Chagas. "A procura existe", diz. "O pessoal apenas não está comprando ainda".

A busca pela decoração natalina ideal se concentra em pinheiros e enfeites de árvore como bolinhas, estrelas, miniaturas, guirlanda e luzes. Há também quem se interesse pela compra de presépios, como é o caso de Maria Cristina Antunes, que guardou a árvore e os enfeites comprados no ano passado. "Quero apenas um presépio pequeno para colocar no pé da árvore", contou a professora aposentada de 57 anos.

Como observado por quem circula pela área central, há preços para todos os bolsos. É possível comprar um pequeno pinheiro no valor de R$ 25 ou gastar cerca de R$ 300 em uma decoração para a casa inteira. Basta fazer uma bela pesquisa.

Trabalhando em uma das maiores lojas do Centro, Daiane Rodrigues defende ser possível montar uma bela decoração com R$ 180. "Existem enfeites de todos os tipos e tamanhos", aponta. "Não precisa gastar muito para deixar a decoração bem bonita e atraente".

As vendas só não são maiores porque existe a espera pelo 13º salário. "As pessoas entram e olham, mas acredito que o movimento maior mesmo vai acontecer a partir da semana que vem, quando entrar o décimo".

 

O melhor é economizar

Professor de Economia da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), Lauro Marmitt aponta que o melhor negócio é economizar neste final de ano. Na avaliação do professor, a pandemia ainda não passou e, mesmo em um momento de retomada da economia, um período de dificuldade pode surgir, caso a situação volte a piorar. "O melhor é gastar o mínimo, porque ninguém pode prever o que vai acontecer a seguir, assim como ninguém previa a pandemia", observa. Marmitt lembra que no ano passado, o isolamento social não permitiu sequer reuniões familiares no final de ano. "Só o fato de podermos nos reunir novamente com as pessoas que a gente gosta, já é uma grande vitória. Então, é melhor gastar menos e curtir mais durante a data".

 

Ceia para a grande noite está quase 6% mais cara neste ano

A alta na inflação reflete nos preços de uma série de produtos e serviços comercializados. Entre eles há os itens da ceia de Natal, como peru, panetone e bebidas. A pesquisa do IPC (Índice de Preços ao Consumidor) aponta que a variação média da cesta de produtos de Natal foi de 5,91%. O valor passou de R$ 309,86 para R$ 328,17.

O corretor Mathias Santos, 45 anos, disse que não abre a mão de comer e beber bem neste Natal e Ano Novo. "No ano passado, ficamos somente eu e minha mulher em casa, mas neste ano vamos receber amigos, então imagino que vai ser necessário gastar mais".

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.