Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Canoas Mobilidade urbana

Prefeitura apresenta modificações do transporte

Acordo entre Município, Sogal e rodoviários foi assinado ontem à tarde

Por Daniele Farias
Publicado em: 29.09.2021 às 03:00 Última atualização: 29.09.2021 às 08:08

O prefeito de Canoas, Jairo Jorge, juntamente com representantes da Sogal e Sindicato dos Rodoviários, assinou ontem o acordo que define os termos que norteiam o Plano de Reestruturação do Transporte Público para a cidade.

Plano de Reestruturação do Transporte
Plano de Reestruturação do Transporte Foto: Divulgação/PMC
Em encontro realizado na Prefeitura, Jairo apresentou 11 medidas que serão adotadas, salientando que a solução foi pensada para resolver a questão até 2023, quando deve ser finalizado o contrato de concessão do transporte coletivo.

"Queremos aqui destacar que esta é uma proposta trabalhada em conjunto por Prefeitura, Sogal e trabalhadores", salientou o prefeito.

Além de abrir mão da concessão do transporte seletivo (amarelinhos), a Sogal e Prefeitura concordaram em retirar as ações que correm na Justiça. A medida permitirá que a Prefeitura possa, em até 90 dias, abrir licitação para outra empresa operar o sistema e romper o monopólio deste serviço na cidade.

Ajustes

No acordo, a Sogal se compromete com a melhoria do serviço e a ampliação da frota. Também haverá a implantação de um novo modelo de bilhetagem eletrônica. "O sistema que existe hoje continuará. O que faremos será adicionar outro, oferecendo maior facilidade ao usuário", ressalta Jairo.

Oportunidade

O Município fará a compra antecipada de 768.758 passagens para uso no programa Oportunidade Canoense, que visa o combate ao desemprego e a retomada do desenvolvimento. A iniciativa passa a integrar o rol de programas de incentivo do Governo Municipal.

Segundo Jairo, a proposta deverá beneficiar 10 mil cidadãos que terão disponíveis 80 passagens para utilizar por quatro meses. A iniciativa começa a valer em outubro.

Investimento

O investimento total é de R$ 3,7 milhões, sendo dividido em cinco parcelas. A primeira no valor de R$ 1.530 milhão, que será pago até 30/09/2021. Mais três parcelas de $ 450 mil até o 5º dia útil dos meses de outubro, novembro e dezembro. Em janeiro de 2022 será paga a última parcela de R$ 810 mil.

Licitação

"Vamos abrir licitação para o transporte seletivo num prazo de até 90 dias", reafirmou Jairo.

O prefeito também destacou que os 14 veículos, que deixam de circular como seletivo, serão incorporados à frota do transporte coletivo regular, após a entrada de nova empresa.

O representante da Sogal no encontro, Marlon Casagrande, destacou que a companhia concordou em desistir da operação. "Entre os dois contratos deficitários que temos, preferimos devolver a concessão do seletivo e focar em buscar melhorias para o canoense que utiliza nossos serviços", afirmou.

Casagrande acredita que, desta forma, também a empresa poderá ter fôlego para sanar as dificuldades financeiras.

Políticas de subsídio às gratuidades

A Prefeitura também lançará o Programa de Financiamento das Gratuidades, em que vai subsidiar e regular as passagens para idosos de 60 a 64 anos, pessoas portadoras de necessidades especiais e seus acompanhantes, além da passagem estudantil, que deverá utilizar os mesmos requisitos do ProUni.

Os beneficiários poderão utilizar 20 passagens mensais, nestes casos.

A Prefeitura deverá criar uma Comissão Gestora de Gratuidades, que deverá avaliar situações específicas e conceder possíveis ampliações.

O prefeito reforça ainda que, a partir de 2022, o benefício da gratuidade no transporte público passará a ser financiado por toda a comunidade canoense e não só por aqueles que utilizam o serviço. "Passará a ser uma política pública do Município, a partir de janeiro do próximo ano", enfatiza. A previsão é que o valor do subsídio gire em torno de R$ 400 mil a R$ 600 mil mensais, que devem ser repassados à empresa para o custeio do serviço.

Sogal e Sindicato dos Rodoviários se manifestaram

Após um longo período sem manifestações da Sogal sobre a crise que atinge o transporte público em Canoas, o representante da empresa, Marlon Casagrande se explicou.

"Não nos manifestamos antes, quando muitos da imprensa nos procuraram, por não ter uma posição formal até a assinatura deste termo", argumentou. Ele destacou que, assim como acontece com as empresas de transporte em todo o País, a crise tem piorado desde que os serviços de aplicativos se tornaram mais populares. "Com a pandemia, a situação se agravou. Estamos fazendo o possível para entrar em acordo com os trabalhadores, para pagar as recisões dos demitidos de forma justa", destacou.

O presidente do Sindicato dos Rodoviários de Canoas, Marcelo Nunes, ressaltou que, a partir do acordo, os trabalhadores têm a garantia dos salários em dia. "Ainda temos questões pontuais de alguns benefícios, que estão sendo ajustados com a empresa", informou.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.