Publicidade
Notícias | Canoas Energia

Lâmpadas led: custo baixo, econômicas e duradouras

Crise hídrica e conta de luz mais cara coloca consumidores em atenção

Por Shállon Teobaldo
Publicado em: 10.09.2021 às 08:16 Última atualização: 10.09.2021 às 16:18

Com aumento médio de 6,78% nas contas de luz até abril de 2022, anunciado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), consumidores residenciais têm buscado alternativas para economizar. De acordo com o diretor da 12V Materiais Elétricos, Edison de Souza, a procura por lâmpadas de led - mais econômicas e duradouras - aumentou nos últimos dias em Canoas.

Led reduz consumo em até 90% por ponto de luz Foto: PAULO PIRES/GES
“Se engana quem pensa que são mais caras. Pelo contrário, uma led de 9 watts, que corresponde a uma incandescente de 60w, custa R$ 7,90. A primeira tem durabilidade de até 15 mil horas (quase dois anos) e a segunda de apenas 750 horas (cerca de um mês)”, explica.

Com as novas tecnologias, a incandescente é indicada apenas para locais que ficam com temperaturas acima dos 40ºC. Existem, ainda, as eletrônicas, que têm vida útil em torno de 7,5 mil horas. Um estudo da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) revela, ainda, que o uso do led reduz em até 90% o gasto em
um ponto de luz.

Para o comércio, a dica é o sistema de temporizador, que programa o acionamento e desligamento de aparelhos elétricos para diminuir os gastos.

“Aqui na loja, por exemplo, programamos horário para o letreiro luminoso acender e apagar e assim não desperdiçamos luz”, comenta Souza.

Não são apenas os aparelhos ligados ou as lâmpadas acesas que consomem energia. O excesso pode estar associado à parte elétrica da casa. “Se os fios estiverem dimensionados de forma incorreta, puxam energia em excesso”, pontua Souza.

No ano passado, em razão da pandemia, que causou problemas logísticos no mundo inteiro, houve falta de
insumos. No entanto, o setor não prevê o mesmo problema apesar da crise.

Pior crise hídrica dos últimos 91 anos

O aumento no preço da luz se deu por uma soma de fatores, mas principalmente pela crise
hídrica que atinge os reservatórios de hidrelétricas do país, descrita pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) como a pior dos últimos 91 anos. Como aproximadamente 62% da energia produzida no Brasil tem essa origem, foi necessário aumentar a geração por meio de
usinas termoelétricas, que têm custo mais alto, e até importar eletricidade de outros países. O engenheiro eletrônico e professor da Universidade Feevale, Ewerton Cappelatti, preparou sete dicas para a adoção de hábitos conscientes no consumo de energia. Confira abaixo:

Sete mandamentos da economia

1. Lâmpadas: não são consideradas as grandes vilãs do consumo de energia, mas ações como desligar a luz em cômodos que não estão em uso e aproveitar ao máximo a luz natural sempre ajudam na diminuição da conta. Lembrar também sempre de utilizar lâmpadas de led, que consomem menos energia.

2. Ar-condicionado: nos vindouros dias quentes da primavera e verão, a dica é maximizar o rendimento e a eficiência desses aparelhos. Deixar o filtro bem limpo e usar o ar-condicionado
em ambientes bem fechados colaboram para isso. Instalar, se possível, os equipamentos em locais que não bata sol colabora mais ainda.

3. Geladeiras e freezers: sempre deixar os aparelhos desligados quando não estão sendo utilizados, pois consomem muita energia. Cuidar na conservação das borrachas de isolamento das portas também potencializa a eficiência. Evitar deixar esses eletrodomésticos instalados “colados” nas paredes também auxilia.

4. Chuveiro elétrico: agora sim um dos grandes vilões do combate ao desperdício de energia
elétrica e água – necessária para as hidrelétricas. As orientações são óbvias, mas necessárias: evitar tomar banhos longos e de temperatura muito elevada. Outra dica importante: desligue o chuveiro enquanto se ensaboa e passa xampu.

5. Ferro de passar: outro inimigo da economia. Procure sempre acumular muitas roupas antes de utilizar o equipamento e, após ligá-lo, só desligue após finalizar o serviço. Para evitar a
necessidade de passar roupas, tente dobrar as peças assim que as recolher para não amarrotarem.

6. Eletroeletrônicos: quase todos aparelhos mais recentes de televisão, videogame, DVD ou receptores de TV possuem o modo “espera (stand by)” para acelerar suas respectivas
inicializações. Desligue essa opção. Ela não consome muita energia, mas como não é essencial, colabora no desperdício.

7. Transformadores: devem sempre ser tirados da tomada quando não estiverem em uso. Eles
consomem energia mesmo quando não estão conectados a outros aparelhos. O mesmo serve para carregadores, como o de celulares. Não são todos os modelos, mas alguns utilizam eletricidade só por estarem conectados à tomada.  

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.