Publicidade
Notícias | Canoas Solidariedade desde cedo

Com apenas 4 anos, menina decide cortar o cabelo para doar a campanha da Brigada Militar

Thauany Pedroso ouviu a mãe dizer que doaria o cabelo e não pensou duas vezes: decidiu participar da ação Cabelos de Aço

Por Bruna Aquino
Publicado em: 03.05.2021 às 12:58 Última atualização: 04.05.2021 às 08:22

Kellen (E), a filha e a mãe doaram parte das madeixas para a iniciativa da Brigada Militar Foto: PAULO PIRES/GES
Ser solidário é algo que se aprende e se pratica no dia a dia, seja em pequenas ou grandes atitudes. No caso da criançada, elas vivem surpreendendo nós, adultos, com gestos de amor ao próximo. Foi exatamente o que fez a pequena Thauany Pedroso. Com apenas 4 aninhos, ela decidiu que cortaria o próprio cabelo para doar à campanha Cabelos de Aço, iniciativa da Brigada Militar que acontece em todo o Estado e é replicada em Canoas pelo 15º Batalhão de Polícia Militar (15º BPM).

Apesar do susto com o "resultado" da ação da filha - que precisou ir ao salão para consertar o primeiro corte, a trabalhadora autônoma Kellen Pedroso também doou seu cabelo e não esconde o imenso orgulho que a atitude da menininha representa. "Um dia comentei com meu marido que ia cortar o cabelo para doar e a Tata ouviu e disse: 'Eu também quero, mãe'. Ela ouviu e ela mesma cortou o cabelo. Depois, levei ela junto comigo para arrumar o corte e ela ficou o tempo todo com aquele cabelo na mão, feliz que ia doar", conta a mãe.

Casada com um sargento da reserva, Kellen afirma que a filha e toda família adoram ir ao 15º BPM, onde sempre são muito bem tratados. No dia da entrega das mechas, ouviu da filha: "Agora vamos ajudar eles, né mãe?". Todas as contribuições foram recebidas com alegria pela soldado Tatiana. "Tem muitas crianças que vem doar e elas adoram fazer a doação. Elas saem maravilhadas. Eu não sei se elas entendem, mas parece ser gratificante", complementa.

Além da estreia de Tata, essa foi a segunda vez que Kellen doou cabelos à ação da BM - a primeira foi no ano passado. "Cabelo cresce, né? E muitas pessoas não têm. Depois de um tratamento de câncer, a gente vê muita criança também sem cabelo. Se a gente pode ajudar de alguma maneira, a gente deve ajudar", enfatiza.

Durante a entrevista, ela lembrou que uma amiga até questionou o motivo de não vender o cabelo. "Disse que não tem dinheiro que pague uma pessoa que não tem cabelo. A gente doa sorrisos porque a vaidade da mulher é o cabelo. A gente tem que pensar um pouco no sorriso dos outros", acrescenta Kellen.

Exemplo de berço

Aos 29 anos, Kellen tem enraizada a consciência do quão bom é fazer o bem e trabalha a questão desde cedo com os três filhos - além de Tata, ela é mãe de Theo Eduardo, 7, e Milena, 2. "Eu sou doadora de cabelos e de sangue. Meu filho mais velho me viu doando sangue e disse: 'Mãe, eu também quero fazer isso'.

Diante da cena, veio a explicação de que o garotinho terá que esperar crescer para doar e também um comentário sobre a importância do ato. Kellen também recorda que disse a Theo que, para ser doador de sangue, é importante se alimentar bem e ingerir bastante água. "Tem dias que ele toma água e diz: 'Mãe, tô tomando bastante água pra ter bastante sangue'", relata, orgulhosa.

Promessa, cura da Covid e corte de cabelo

No dia em que Tata concretizou a doação de seu cabelinho, o 15º BPM viu três gerações de mulheres solidárias contribuírem com essa causa tão nobre: a menina, Kellen e a mãe de Kellen, a também autônoma Cleusa Lopes, 54 anos, que decidiu aderir à campanha após superar a Covid-19.

"A minha mãe não cortava o cabelo tinha uns 12 anos, o sonho dela era deixar o cabelo crescer muito. Ela ficou 40 dias lutando contra a Covid, internada no Hospital Nossa Senhora das Graças, 28 deles com a máscara de Hudson, e fez uma promessa que caso se salvasse da Covid, ela cortaria o cabelo e doaria", recorda Kellen.

Dito e feito: Cleusa saiu do hospital no dia 22 de março e no dia 23 cortou os cabelos. "Graças a Deus ela se salvou. A gente tem que ser gratos às coisas que Deus proporciona", completa a filha.

Doações da campanha Cabelos de Aço

A campanha Cabelos de Aço é uma ação institucional da Brigada Militar e iniciou entre as próprias policiais militares para que elas doassem mechas de cabelos, para a produção de perucas que seriam entregues a diversas instituições que tratam pessoas com câncer. Mas a ação foi ganhando proporção e hoje qualquer pessoa pode doar, inclusive crianças.

Para participar, basta cortar o cabelo e entrar em contato com o batalhão pelos telefones 98453-0898 ou 3477-8845. Depois, só efetuar a entrega das madeixas.

"As pessoas ligam, a gente marca dia e horário e elas entregam no batalhão", explica a soldado Tatiana, responsável pela Comunicação. Em 2020, o 15º BPM doou 32 mechas de cabelo ao Instituto da Mama do Rio Grande do Sul (Imama). Neste ano, foram recebidas 10 doações.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.