Publicidade
Notícias | Canoas Cuidado

Pandemia fez crescer acidentes elétricos em obras

Somente no ano passado, 198 pessoas perderam a vida em circunstâncias envolvendo energia no País

Por Leandro Domingos
Publicado em: 24.11.2020 às 03:00 Última atualização: 24.11.2020 às 08:22

Olha o perigo! Fios partidos oferecem risco iminente à segurança dentro de casa Foto: REPRODUÇÃO
A pandemia e a consequente quarentena elevou o número de obras e reformas, tanto residenciais quanto em comércios e indústrias. O período com atividades reduzidas aumentou o tempo para a manutenção e melhorias em casa, o que, proporcionalmente, fez com que aumentasse também o risco de acidentes. Porém, é preciso muito cuidado com a rede elétrica aérea, principalmente ao instalar antenas, painéis luminosos ou pintar fachadas de prédios. Descuidos são as causas mais comuns.

Só entre janeiro e outubro de 2020 foram registrados oito acidentes, entre leves, graves e fatais, envolvendo atividades de construção civil e pintura nas cidades da área de concessão da Rio Grande Energia (RGE), um deles ocorreu em Canoas, mas felizmente não terminou em morte, segundo a RGE. Um levantamento recente promovido pela Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel) mostra que a rede aérea de energia foi a responsável, em 2019, por 198 acidentes com mortes. A falta de planejamento e atenção com equipamentos de proteção individual e coletiva são alguns dos erros mais comuns. "Infelizmente, alguns profissionais acabam não seguindo as orientações ou não procurando informações sobre segurança", explica Marcos Victor Lopes, gerente de Saúde e Segurança do Trabalho da CPFL Energia.

Claudiomiro Santana lembra com tristeza a perda de um colega. O acidente aconteceu há dois anos. O operário de 37 anos na época trabalhava na construção civil. Em cima de um andaime, ele observou um colega, acidentalmente, se aproximar de um fio de alta tensão. "Ele nem encostou. Só chegou perto e recebeu a descarga", recorda.

Os cuidados redobrados também em casa

Trabalhando em home office desde maio, o Juarez Malinoski teve mais tempo para dar atenção ao que precisava ser feito em casa. Acabou resolvendo trocar ele mesmo o disjuntor do chuveiro. Por pouco, não terminou “queimado.” Achei que tinha desligado o disjuntor geral na rua, mas não. Estava ligado. Encostei o fio fase no terra e de repente só vi aquele clarão no rosto”, conta o técnico em administração de 43 anos. “Tive que chamar um amigo, que é eletricista. Ele me explicou que algo mais grave poderia ter acontecido. Me disse que um fio desencapado pode ser fatal.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.