Publicidade
Notícias | Canoas Protocolos

Escolas particulares seguem com aulas presenciais, mas aguardam decreto

Colégios estaduais não podem retomar atividades em sala por conta da bandeira vermelha

Publicado em: 24.11.2020 às 03:00 Última atualização: 24.11.2020 às 07:59

Escolas estaduais permanecem sem aulas presenciais após duas semanas de bandeira vermelha Foto: fotos PAULO PIRES/GES
O Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (SINEPE/RS) emitiu nota orientando as escolas particulares a seguirem em sala de aula, apesar das regras do Distanciamento controlado do Governo Estadual que definem que um município com duas bandeiras vermelhas consecutivas interrompa as aulas presenciais.

Canoas se enquadra nesta situação, após manutenção do status de alto risco de contágio ontem. Em contato com a reportagem na noite de ontem, porém, o secretário Municipal da Saúde, Fernando Ritter, garantiu que nada muda e que as aulas presenciais em Canoas estão garantidas.

"Estivemos em contato com a equipe técnica do Governo do Estado e não recebemos informação da necessidade de interrupção", garante. "Na Região Noroeste do Estado temos três bandeiras vermelhas seguidas e as aulas seguem." Em torno de cem escolas canoenses apresentaram plano de contingência para se habilitarem ao retorno, por meio de decreto municipal emitido em 5 de novembro. "Em Canoas, decidimos por restringir em 50% a presença em aula, em vez dos 25% que nos era permitido", lembra Ritter. "Também testamos 2,6 mil alunos, professores e funcionários por duas vezes, e o positivo teve resultado baixíssimo."

O DC ouviu três escolas particulares que afirmaram seguir com as aulas presenciais hoje, a menos que o decreto estadual assim o impeça (algumas operam hoje com sistema de presença parcial).

Reunião na Capital entre Ministério Público e Governo vai ajustar o impasse. A vigência do decreto iniciou a 0h. Nas escolas estaduais de Canoas, que aguardavam a manifestação do Centro de Operações de Emergência (COE) regional da Saúde (a respeito dos planos de contingência da Covid-19 para retomar as aulas presenciais), agora enfrentam outro entrave para voltar a receber alunos. A classificação de risco alto, confirmada ontem, vale até a próxima semana. Canoas tem co-gestão.

O que diz o Estado sobre a dupla bandeira

“É necessário que a região ingresse na segunda semana consecutiva em bandeira vermelha para que as escolas não possam abrir em uma região ou, se já abertas, devam fechar. De acordo com a nova regra, as escolas privadas e públicas deverão interromper as aulas que já estavam ocorrendo ou adiar o retorno, caso ainda não estivessem recebendo alunos de forma presencial. Vale lembrar que eventos só podem ocorrer em municípios que autorizarem e que estão no processo de retomada escolar. A condição foi estabelecida como forma de elencar uma prioridade na retomada de atividades”, diz nota do Governo do Estado.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.