Publicidade
Notícias | Canoas Trânsito

Não está fácil de circular pelo bairro Fátima

Veículos estacionados nos dois lados da Rua Rui Barbosa causam problemas diários para os moradores do bairro. Além disso, há excesso de velocidade e placas sem visualização

Publicado em: 27.09.2020 às 19:17 Última atualização: 28.09.2020 às 16:45

25/9/2020 RUA RUI BARBOSA - BAIRRO FÁTIMA Foto: PAULO PIRES
Há alguns anos considerado um dos bairros mais tranquilos de Canoas, o Fátima tem crescido bastante, principalmente, devido à quantidade de condomínios que foram erguidos na área próxima ao Parque Eduardo Gomes. Além das empresas que trabalham na área, há pelo menos dois novos saindo da prancheta no local, além de outros quatro já instalados por grandes construtoras. Todo este investimento - bem-vindo para a cidade, diga-se - fez aumentar significativamente o fluxo de veículos no Fátima. Vias antes consideradas tranquilas, hoje já exigem atenção redobrada do condutor. E até mesmo o espaço destinado a estacionamento tem se tornado problema para quem vive no Fátima, conforme ouvido por nossa reportagem. A Luisa Capilheira, por exemplo, está com a maior dificuldade de entrar e sair de casa.

Moradora da Rua Rui Barbosa, ela aponta que o problema é o enorme estacionamento em que se transformou a via no bairro. É que os veículos estacionados nos dois lados da pista acabam deixando a circulação bastante restrita. Se passar um caminhão, não passa mais ninguém. "Especialmente no final de tarde, é preciso ter paciência, porque todo mundo quer chegar em casa primeiro", reclama. A citada Rui Barbosa fica no, assim conhecido, "centrinho" do Fátima, razão pelo qual é a mais acessada por condutores. "Isso aqui cresceu muito. Eles têm que pintar faixa amarela em um dos lados para as pessoas conseguirem circular tranquilamente de novo", opina a servidora aposentada de 59 anos. Também moradora do "centrinho" do Fátima, Andrea Gomez aponta que o cruzamento da Rui Barbosa com a Oliveira Viana também se tornou um risco com o passar dos anos. "Teriam que reduzir que reduzir a velocidade da via, porque, mesmo com o quebra-mola, os motoristas que passam correm muito", aponta a vendedora de 47 anos. "É um bairro residencial e com muitas crianças. Ninguém quer esperar que o pior aconteça", completa.

Placas passando por avaliação técnica

Entre as reclamações, nossa reportagem ouviu sobre uma placa indicando o limite de velocidade que fica sem visualização, atrás de um poste da telefonia na Rua Rui Barbosa. "Aquilo ali é um absurdo muito grande", apontou o motorista Luis Carlos Maciel, 54 anos. "Eu, que moro aqui na volta, sei onde está a placa, mas quem passa não tem a mínima ideia o que diz ali." Pois a tal placa não deve permanecer muito tempo no local, tendo em vista duas frentes de trabalho que foram anunciadas recentemente e são conduzidas pela Secretaria de Transportes e Mobilidade há algumas semanas. A primeira diz respeito a placas instaladas há décadas em Canoas e que estão sendo substituídas por novas. O trabalho é executado em bairro por bairro. Mais importante, os técnicos ligados a SMTM estão reavaliando as placas de sinalização em Canoas com o objetivo de adequá-las à nova legislação que sendo propagada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). "Antes, apenas observando as características da via, era possível classificar a velocidade, mas hoje isso mudou", explica Ademir Zanetti.

Responsável pela Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade (SMTM), Ademir Zanetti garante que será feita uma análise técnica e, caso seja necessário, serão providenciadas alterações na área destinada ao estacionamento de veículo. O secretário informa que dezenas de solicitações são analisadas semanalmente com o objetivo de melhorar a mobilidade na cidade. Zanetti confirmou não existir um protocolado com qualquer reclamação referente a área central do Fátima. "Nós recebemos muitos pedidos que vem através da Central de Atendimento ao Cidadão (CAC) e todos passam por análise técnica", defende.

 

Secretaria confirma que análise será feita no local

Responsável pela Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade (SMTM), Ademir Zanetti garante que será feita uma análise técnica e, caso seja necessário, serão providenciadas alterações na área destinada ao estacionamento de veículo. O secretário informa que dezenas de solicitações são analisadas semanalmente com o objetivo de melhorar a mobilidade na cidade. Zanetti confirmou não existir um protocolado com qualquer reclamação referente a área central do Fátima. "Nós recebemos muitos pedidos que vem através da Central de Atendimento ao Cidadão (CAC) e todos passam por análise técnica", defende.

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.