Publicidade
Notícias | Canoas Gatos na rede!

Canoas é a terceira no ranking das cidades que mais fraudaram energia elétrica em 2020

Foram 4.285 inspeções executadas pelos técnicos da concessionária no primeiro semestre de 2020. O resultado foram 415 flagrantes por furtos

Publicado em: 16.09.2020 às 15:56 Última atualização: 17.09.2020 às 19:49

Foram 70 levados à cadeia só no ano passado pela Civil Foto: POLÍCIA CIVIL/DIVULGAÇÃO
Estevão Prates, 55 anos, achou estranho o veículo da Rio Grande Energia (RGE) estar estacionado em frente a sua residência logo na primeira hora da manhã. Saiu de casa para ver o que era e constatou que os eletricistas da concessionária estavam fazendo uma inspeção em seu "relógio." Conforme relataram os técnicos ao cliente, o trabalho no medidor de luz tinha como objetivo verificar se não havia alguma irregularidade, leia-se fraude. Por fim, eles não encontraram nenhum "gato" na rede. Nem teriam como, afinal de contas seu Estevão paga em dia cada fatura. "Coloquei uma escada e subi no poste outro dia para tirar um galho de árvore do fio", conta. "Tenho uma vizinha muito fofoqueira que me viu no poste. Foi certamente ela quem ligou para a RGE e disse que eu andava fazendo gato", opina. "Ela só vive de cuidar os outros e fazer fofoca", brinca.

A vistoria feita no medidor de Estevão faz parte das 4.285 executadas pela concessionária somente em Canoas, durante o primeiro semestre deste ano. E embora o hoje aposentado servidor do Estado, do caso citado acima, não tenha feito nenhuma fraude, centenas de canoenses fizeram, especialmente durante a pandemia. Canoas cravou em 2020 a 3ª colocação em número de irregularidades, segundo a Rio Grande Energia, em todo o território atendido pela RGE no Rio Grande do Sul. Foram 415 conforme apontamento do relatório semestral da empresa. A energia recuperada, somente em Canoas, chega a 1.675 MWh, o suficiente para abastecer aproximadamente mil residências por um ano, levando em consideração um consumo médio de 150 kWh ao mês para cada consumidor.

É por esta razão que o combate às fraudes nas ligações de energia é contínuo por parte da RGE. De acordo com o gerente de Serviços de Recuperação de Energia da empresa, Danillo Ferreira Lelis, uma vez identificada uma fraude de energia, a distribuidora também cobra os valores retroativos referentes ao período em que ocorreu o furto, o que torna bastante difícil a situação do fraudador. "A RGE realiza constantemente importantes ações de combate às fraudes e furtos em conjunto com os órgãos públicos e autoridades policiais, que têm auxiliado significativamente o trabalho. A empresa também investiu em novas tecnologias e treinamento das equipes, aprimorando seus processos de monitoramento e análise", apontou.

Meia dúzia de empresários levados à cadeia

As fraudes e furtos de energia são crimes previstos no Código Penal e a pena pode variar de um a quatro anos de detenção. Somente no ano passado, 70 pessoas foram presas em flagrante em operações realizadas pela RGE em parceria com a Delegacia de Repressão aos Crimes contra o Patrimônio da Polícia Civil. Só em Canoas, uma dúzia de empresários à cadeia por conta dos "gatos" na instalação elétrica. Conforme o responsável pela DP Especializada, o delegado Luciano Dias Peringer, a Civil trabalha conforme as denúncias. E Canoas tem rendido muitas delas. "Vamos continuar vindo a Canoas enquanto houver pessoas com ligação direta e sem medidor", avisa Peringer. "Até agora, não foi necessário quebrar nenhuma parede em Canoas. As ligações clandestinas são todas feitas de forma escancarada no poste."

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.