Publicidade

Walter Roese é Novo Hamburgo na NBA

Diretor técnico da NBA Academy na Cidade do México, o hamburguense é responsável pela formação de novos talentos do basquete, com experiência também como consultor do Utah Jazz Reportagem: Gustavo Henemann

De Novo Hamburgo para ser formador de novos ídolos na maior liga de basquete do mundo, a National Basketball Association (NBA). Desde 2018, o hamburguense Walter Roese, 53 anos, ocupa o cargo de diretor técnico da NBA Academy da América Latina, na Cidade do México, e tem como foco a lapidação de talentos para um dos esportes mais populares do planeta. Com uma grande história no basquete, Roese morou por 30 anos nos Estados Unidos, onde foi jogador e treinador na liga universitária e, em 2012, se tornou consultor internacional do Utah Jazz.

Seu início de carreira foi no Grêmio Náutico União (GNU), em Porto Alegre, onde jogou de 1976 a 1984, tendo disputado vários campeonatos brasileiros com a seleção gaúcha de base. Em 85, foi atleta do Clube Bradesco, no Rio de Janeiro. No ano seguinte, atuou pelo Corinthians, e depois, de 87 a 89, jogou no Monte Libano, em São Paulo. "Em 1989, fui para os Estados Unidos jogar basquete universitário pela Universidade de Houston", conta Roese, que recorda do primeiro contato na NBA. "Minha primeira experiência com a NBA foi há muitos anos, quando ainda era técnico da NCAA (National Collegiate Athletic Association). Fui convidado pelo Phoenix Suns para fazer uma tradução para o Leandrinho, ele tinha acabado de ser draftado e foi jogar uma Summer League em Salt Lake City. Sentei no banco, na época o 'coach' era o Mike D'Antoni (atual treinador do Houston Rockets), e fiquei como tradutor para o Leandrinho", revela.

Os brasileiros são muito respeitados na NBA, são muito inteligentes, que agregam muito aos grupos. São determinados, profissionais, sabem das dificuldades de se entrar na liga e são muito queridos por todos.

Nos anos seguintes, Roese estreitou os laços com a NBA a partir do Utah Jazz. "Eu tinha um ótimo relacionamento com a franquia, já morava em Utah, e fiquei com eles por muitos anos. Foi uma experiência sensacional, aprendi muito. Em 2018, estava num evento nas Bahamas e a NBA me convidou para ser o head coach da NBA Academy América Latina, que estava sendo aberta no México. Aceitei na hora. Estar envolvido com a maior liga do mundo é motivo de orgulho, é muito gratificante como profissional do basquete. Aprendo todos os dias, a estrutura é maravilhosa, tudo é muito profissional e tenho todas as condições para exercer da melhor forma o meu trabalho", garante.

Hamburguense Walter Roese é diretor técnico da NBA Academy no México Foto: Arquivo Pessoal

No final de março deste ano, Roese teve parte dos planos alterados na temporada. Devido à pandemia de coronavírus, que atingiu fortemente a América do Norte, a NBA tomou medidas para conter a transmissão do vírus e suspendeu as atividades, inclusive da NBA Academy. O hamburguense então voltou para o Rio Grande do Sul. "Quando houve os primeiros indícios da pandemia, a NBA começou a projetar o que poderia acontecer. Analisamos o cenário e foi decidido que era importante que os atletas ficassem com suas famílias. Tudo foi feito de maneira bem planejada e organizada", afirma.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Publicidade
Matérias especiais
Crime organizado
premium

Polícia volta à casa de antigo chefe da facção os Manos, em Novo Hamburgo

Novo Hamburgo
Economia

Calçadistas em tratativas para diminuir as perdas de até 29% na produção do setor em 2020

Região
Combate à pandemia

VÍDEO: termo de cedência do Monte Alverne em apoio ao Hospital Centenário é assinado

Vídeos
Por amor à saúde

Conheça os super-heróis da linha de frente contra o coronavírus

Região