Publicidade
Acompanhe:
Blog do Rodrigo Becker

Vacinação contra a gripe: ministro Mandetta, Canoas precisa de mais vacinas!

Por Rodrigo Becker

Equipes da saúde vão percorres todas as residências da cidade Foto: Vinícius Thormann/Divulgação-PMC
A notícia de que a vacinação contra a gripe em Canoas teve que ser suspensa nesta quinta-feira, 26, pegou no contrapé a turma da linha de frente no esforço de guerra que as autoridades de saúde vem travando no combate ao avanço do coronavírus. É que as 15 mil doses que chegaram no primeiro lote acabaram antes do meio dia, chegando a pouco menos de 38% do público-alvo dessa fase da campanha, que são as pessoas com mais de 60 anos.

CONTEÚDO ABERTO | Leia todas as notícias sobre coronavírus

A vacina, vale lembrar, não imuniza ninguém contra o coronavírus - mas ajuda a manter a gripe longe dos vovôs e vovós, o grupo com maior letalidade em relação à covid-19.

Canoas não compra essas vacinas: quem manda para cá é o Ministério da Saúde - chefiado pelo médico e ex-deputado Luiz Henrique Mandetta, que vinha defendendo o isolamento social como forma de combate ao vírus, mas foi meio que desautorizado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. É Mandetta quem deve autorizar ainda hoje o envio de um novo lote de vacinas para que a campanha seja retomada entre sexta e segunda-feira.

Em outros anos, a campanha começava com pelo menos 50 mil doses da vacina. Em 2019, como a ação foi antecipada em razão da pandemia, a indústria foi pega despreparada. Entregou quantidade no primeiro lote distribuído e, por isso, Canoas recebeu menos doses esses primeiros dias de atividade.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.