Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Viver com Saúde

Conheça os alimentos que auxiliam na cicatrização da pele

Médico dá dicas para uma boa recuperação dos tecidos após cirurgias
13/05/2019 03:00 17/05/2019 14:59

Foto por: Fotolia
Descrição da foto: CARDÁPIO: peixe, legumes e oleaginosas auxiliam recuperação
O processo de recuperação de qualquer cirurgia exige bastante cuidado, como repouso, esforço moderado e medicação. Mas o que parece simples nem sempre vem a conhecimento de pacientes que buscam uma boa cicatrização pós cirurgia: a alimentação. Alguns alimentos são fundamentais para uma boa cicatrização, lembra o cirurgião plástico Deivis Albers.

Ao realizar uma cirurgia plástica, por exemplo, corta-se o tecido e imediatamente o corpo reage e tenta se defender e cicatrizar a área. A coagulação é ativada e forma um novo tecido conjuntivo, rico em fibras de colágeno. Esse processo acontece por meio de células chamadas fibroblastos, macrófagos, plaquetas e também por inúmeros mediadores químicos.

Para a ação, nosso corpo necessita de nutrientes, principalmente aminoácidos, proteínas, vitaminas C, E e A, além de um aporte de oxigênio. "Ao montar o seu cardápio pós-operatório, é importante lembrar de alimentos ricos em ferro e proteína, como carnes, e com boa quantidade de vitaminas, que encontramos nos legumes e vegetais."

Boas escolhas no prato ajudam processo físico

Alimentos ricos em proteínas são excelentes para ajudar nesse processo, como carnes de gado, aves, peixes, ovos, além de leites e derivados. Entre as vitaminas, a vitamina C auxilia na cascata de coagulação e na formação do colágeno, encontrada principalmente em frutas cítricas, como a laranja, o limão, abacaxi, tangerina, entre outras.

Já a vitamina A é importante para combater a inflamação e é encontrada em alimentos como a cenoura, o tomate e a beterraba. A vitamina E se encontra em oleaginosas, como castanhas, amendoins, nozes, etc. Para complementar, o ômega 3, encontrado em peixes, como atum e sardinha, também ajuda no controle do processo inflamatório.

No entanto, há alimentos que prejudicam o processo de cicatrização pós cirurgia. Itens ricos em açúcar e gorduras trans ou ainda ricos em óleos vegetais e sintéticos, devem ser evitados, como doces, pães, massas, bolos, biscoitos, refrigerantes, margarina, óleos de soja, de milho e de canola.

O cirurgião plástico ressalta que outros vilões nesse processo são as frituras, os produtos refinados, ultraprocessados e industrializados. "Estas substâncias comestíveis não possuem nutrientes e podem gerar processos inflamatórios no organismo, que irão atrapalhar na boa cicatrização", afirma.

Cuidado comos alimentos "reimosos"

São chamados de alimentos "reimosos" os alimentos que, teoricamente, atrapalhariam a cicatrização. O termo "reimoso" é utilizado em várias regiões do Brasil, especialmente na região Nordeste. "Reima" é uma variação da palavra grega "reuma", que deu origem a outras palavras, entre elas, a palavra "reumatismo" (doenças que provocam dores intensas nas articulações e músculos).

Trata-se de alimentos considerados com alta concentração de proteína e gordura animal, como carne de porco e de pato, camarão, caranguejo, moluscos e ovos. Algumas frutas cítricas, apesar de não terem proteína animal, também são consideradas "frutas reimosas". No entanto, os alimentos reimosos possuem má fama, pois muitos acredita-se que eles possam desencadear reações alérgicas como coceiras, diarreia e intoxicações mais graves. Contudo, não há comprovação científica e é considerado um mito entre os cirurgiões.

É importante lembrar que para uma boa cicatrização, a alimentação indicada para cada paciente deve ser avaliada diretamente com o médico responsável. Além disso, o paciente deve estar com um aporte de oxigênio adequado, pois fatores locais podem prejudicar a recuperação. Isquemia, infecção, má técnica cirúrgica, corpo estranho e edema são fatores que dificultam uma boa cicatrização.

Problemas sistêmicos também interferem, entre eles, diabetes, hipotireoidismo, tabagismo, sepse, idade avançada, insuficiência renal ou hepática, diversos medicamentos e doenças hereditárias como Síndrome de Ehler-Danlos.

Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS