Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Viver com Saúde

Aromaterapia: saiba como funciona e os benefícios para a saúde e beleza

Extrato de óleos essenciais complementa tratamentos e recursos estéticos
28/01/2019 03:00 28/01/2019 13:52

Foto por: Fotolia
Descrição da foto: Aromaterapia é um dos recursos para tratamentos estéticos e de saúde
Estamos tão condicionados aos tratamentos convencionais, que esquecemos ou, muitas vezes, não acreditamos no poder curativo das plantas. A aromaterapia, que age por meio da inalação ou pelo contato com a pele de óleos essenciais, é uma terapia milenar que tem voltado à tona, principalmente depois que a prática foi incluída no Sistema Único de Saúde (SUS) em março do ano passado.

Os resultados, pelo menos na área da beleza, são visíveis, segundo a coordenadora do curso de Estética e Cosmética da Universidade Feevale, Katia Regina de Lima e Silva Smaniotto. Ela ministra aulas sobre o uso da aromaterapia em disfunções estéticas.

A professora explica que o tratamento tem efeito em todo o organismo. "Importante ressaltar que a aromaterapia oportuniza um tratamento integrativo, tratando causa e efeito", afirma.

Na universidade

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Katia Regina de Lima e Silva Smaniotto., é professora no Centro de Estética da Feevale
Nos atendimentos realizados no Centro de Estética, os professores utilizam os óleos essenciais como terapia complementar aos demais recursos estéticos. Katia ainda busca incorporar o uso dos óleos essenciais a outros tratamentos por via dérmica, a pele. Apesar disso, a parte olfativa sempre está presente já que o paciente acaba, consequentemente, inalando o produto.

Segundo ela, a cada consulta, a pessoa é avaliada para ter a melhor terapia para seu problema físico ou mental. "Se está mais ansioso, podemos usar a lavanda; se está mais agitado e com ansiedade, podemos usar a laranja doce; se ele está cabisbaixo, com pouca energia, podemos usar o alecrim; ou podemos fazer uma sinergia específica para o cliente naquele momento", detalha a profissional.



  • Bottles filled with red and orange essential oils on wooden board. Fresh citrus fruit, orange and lime cut in half. Aromatherapy relax concept
    Foto: fotolia
  • Katia Regina de Lima e Silva Smaniotto., é professora no Centro de Estética da Feevale
    Foto: Divulgação

Principais aromas

Entre os óleos essenciais mais usados, está a lavanda, que é multifuncional, de fácil aplicação e não tem contraindicações, revela Katia. "É tranquilo para usar em crianças, idosos e gestantes". A única ressalva é a necessidade de se observar o percentual de diluição, que tem ser menos de 1%, alerta. Outros óleos muito utilizados são: alecrim, gerânio Bourbon, rosas, cipreste, cedro, tomilho, ylang ylang, laranja doce.

Indicações

Katia destaca que o uso deve ser sempre feito sob recomendação de profissionais habilitados. Além disso, o óleo essencial nunca pode ser usado puro na pele ou inalado direto da embalagem. O produto também não deve ser ingerido, exceto quando indicado por médico. Somente o profissional da área tem capacidade para avaliar bem os constituintes químicos antes de receitar o óleo ou a mistura de óleos mais adequada para cada paciente.

- Óleos essenciais extraídos das plantas da família botânica dos herbais (folhas): tem ação estimulante, como: alecrim, menta, eucalipto;
- Óleos essenciais extraídos da família das flores: tem ação calmante: rosa, gerânio, lavanda;
- Óleos essenciais extraídos dos cítricos: são energizantes, trazem vigor para o corpo e trabalham a área emocional, como os casos de depressão;
- Óleos essenciais extraídos das plantas da família das coníferas (pinheiros): tem ação revigorante auxiliando em processos de medo, angústia, depressão. São exemplos o cedro e o cipreste;
- Óleos essenciais extraídos de resinas (tronco de árvores): tem poder curativo para pele, problemas dermatológicos. Exemplos: olíbano, mirra.

Atenção aos nomes científicos

Um cuidado antes de comprar um óleo essencial é prestar atenção ao nome científico da planta. Um exemplo é a lavanda que tem mais de uma origem e, assim, outros efeitos. "A lavanda francesa (Lavandula angustifolia) tem característica calmante tanto da pele quanto do sistema nervoso; é indicada como antiestresse, melhora do sono, picada de insetos, queimadura e acne. Já a lavanda brasileira (Lavandula dentata), tem ação oxigenante, mais estimulante."

Saiba mais

- Os primeiros registros do uso da aromaterapia datam do Egito Antigo, há menções também na Bíblia. Há relatos ainda do uso pelos antigos povos da Índia, os Vedas que deram origem à medicina Ayurveda.

- Paracelso - Philippus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim (1494-1541): o primeiro a usar o termo óleo essencial para descrever a substância extraída. Na época, cria que tinha a essência das plantas.

Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS