Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Cortes na Educação

Capes suspende novas bolsas de mestrado e doutorado

Universidades federais também tiveram bolsas cortadas; há relatos em federais de Pará, Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais e Paraná
09/05/2019 07:56 09/05/2019 07:57

As três universidades paulistas que mais produzem conhecimento científico no País, a USP, Unesp e Unicamp, sofreram cortes de bolsas novas de mestrado e doutorado, afirmam as instituições. As bolsas consideradas "ociosas" pelo governo, na verdade estavam sem utilização por apenas 15 dias, período em que eram selecionados novos candidatos. Segundo o Estado de S.Paulo, o critério de corte de bolsas chamadas "ociosas" foi um dos divulgados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), ligada ao Ministério da Educação (MEC), para justificar a medida. As instituições alegam, no entanto, que as bolsas já estavam previstas para 2019. 

Quando um aluno finaliza o curso, essa bolsa, no ano seguinte, é passada para um colega. Foram justamente as bolsas que ficaram vagas em abril que não mais puderam ser preenchidas em maio, por causa do corte da Capes - que as considerou "ociosas". A Unicamp estima que 40 bolsas foram cortadas. "Mas já há inúmeros relatos que dão conta da insensatez da medida, dado que em muitos casos estava-se justamente buscando atribuir a bolsa ao aluno e o sistema não permitiu", diz nota. 

A Unesp informou ter registrado cortes em praticamente todos os programas de pós-graduação, mas ainda dimensiona o número total de bolsas cortadas. "Os coordenadores se sentem responsáveis pelos estudantes que tiveram as bolsas cortadas. São pessoas que pediram demissão do emprego, deixaram de lado outros compromissos e se programaram para estudar contando com o recurso. A situação é caótica", disse Telma Teresinha Berchielli, pró-reitora de pós-graduação da instituição.

Federais

As universidades federais também tiveram bolsas cortadas. Há relatos de bolsas suspensas em federais de Pará, Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais e Paraná.

Já a Capes informou que "nenhum bolsista cadastrado nos sistemas de concessão foi retirado". E disse que não há ainda o número exato das bolsas ociosas recolhidas. As universidades confirmam que só bolsas novas foram atingidas. A Capes sofreu um bloqueio de R$ 819 milhões, 19% do orçamento autorizado inicialmente.

Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS