Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Menos violento

Homicídios caíram quase pela metade nos quatro primeiros meses de 2019

Queda foi de 48% se comparado ao mesmo período de 2018
15/05/2019 18:29 15/05/2019 18:31


Leandro Domingos/GES-ESPECIAL
Delegado Carrijo: agilidade na solução de assassinatos
A data é uma segunda-feira à noite de 18 de fevereiro. A Brigada Militar (BM) fazia ronda pelo bairro Guajuviras quando suspeitou de um Hyundai Tucson que circulava em alta velocidade pelo bairro. Os PMs pararam o veículo na marra após troca de tiros e terminaram prendendo três criminosos. O que tinha dentro do carro? Um homem que havia sido sequestrado no Guaju somente para ser torturado e executado por uma facção criminosa. Foi uma vida poupada. Já na madrugada do sábado de 27 de abril, um pedreiro esfaqueou um colega em um bar no bairro Mathias Velho. Somente duas horas depois do crime, ele fora capturado por agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que começaram a apurar o assassinato ainda no meio da madrugada e pela manhã já estavam com o crime sendo confessado pelo autor. Esses são somente dois casos que ilustram que as forças de segurança trabalharam muito nestes primeiros quatro meses do ano contra os chamados crimes contra a vida. Acha que não? Pois eis que a Secretaria Estadual de Segurança divulgou neste início de semana os indicadores criminais referentes ao quadrimestre, apontando a queda de homicídios quase pela metade.

E a redução alcançada vem sendo apontada como um novo marco para a segurança pública pelas autoridades policiais de Canoas. Afinal, a redução de quase 48% responde por 18 vítimas a menos que em 2018. Embora não possa ser celebrada, afinal ainda se perderam 24 vidas este ano, a redução significativa divulgada pelo Estado deixou homens e mulheres que trabalham na segurança de Canoas todos os dias com a sensação de dever cumprido até aqui.

Interação entre as polícias tem sido fundamental

Secretário de Segurança, Alberto Rocha ressalta que não é à toa que Canoas chegou a uma diminuição tão significativa. A sintonia do diálogo entre as polícias, somada aos investimentos da administração municipal está reduzindo cada vez mais o espaço para a bandidagem. “Sabemos que podemos fazer ainda mais, porém estamos satisfeitos por apresentar números que contribuem para a sensação de segurança dos canoenses”, avaliou. “Acho que à mais uma vitória de todos.”

Rapidez na apuração das mortes tem sido garantia de prisões

Se o assunto são os crimes contra a vida, é preciso destacar o trabalho dos agentes da Delegacia de Homicídios. Comandada pelo delegado Thiago Carrijo, a Especializada se notabilizou neste início de ano pela rapidez com que atua em cima dos casos. É de praxe que policiais da DP sejam acionado para dar início a apuração de uma morte na hora do crime mesmo, no entanto a Homicídios de Canoas tem promovido verdadeiras caçadas madrugada adentro a criminosos de plantão. “Norteamos nosso trabalho pela rapidez na coleta de informações logo após o crime”, explica Carrijo. “Não dá para esperar muito o assassinato esfriar para só depois correr atrás dos fatos. É preciso correr no encalço do assassino”, explica. “E conseguimos garantir um bom trabalho.”

Brigada se posicionando em pontos estratégicos

O 15º Batalhão da Polícia Militar (BPM) nunca trocou tantos tiros contra criminosos antes. Isso porque a Brigada vem ganhando, literalmente, espaço em locais onde a bandidagem não estava acostumada. “Trabalhamos em cima de indicadores criminais, atuando mais efetivamente em zonas onde os criminosos não estavam acostumados a ver a Brigada”, esclarece o comandante Jorge Dirceu Abreu Silva Filho. “Foram pontos estratégicos que garantiram tanto prisões quanto apreensões de armas e drogas”, continua.

O major mirou uma repressão qualificada desde sua chegada no início do ano, destacando em especial a grande quantidade de munições retiradas das ruas durante estes primeiros meses. “A gente costuma dizer que cada bala é uma vida poupada de um cidadão”, frisa. “Ainda estamos longe do ideal, mas não há dúvida que o trabalho que vem sendo feito está dando resultado”, defende o oficial, que fecha salientando a importância da parceria com o Comando do Policiamento Metropolitano (CPM). “As ações estão dando muito certo.”


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS