Publicidade
Esportes Confirmado

Com nova identidade, Canoas estará na Superliga B

Antes Vôlei Canoas, Apav busca recursos para montar o elenco

Por Moreno Carvalho
Última atualização: 19.10.2018 às 19:44

Moreno Carvalho/GES-Especial
Diretoria firma parcerias para voltar a lotar o ginásio do La Salle
Voltar pela mesma porta por onde entrou, há seis anos: a da frente. É assim que a Apav Vôlei pretende retornar à elite do esporte nacional. Nesta quinta-feira, em entrevista ao Diário de Canoas, a direção da instituição confirmou sua participação na Superliga B, competição que dará duas vagas na Superliga 2019/2020 e que deverá começar em janeiro.

“Conseguimos arrecadar o valor da inscrição e a fizemos no último dia 5. A competição deverá ocorrer de janeiro e abril, com seis participantes já inscritos e outros dois que virão da Série C”, explica Gustavo Endres, gerente geral do clube.

Diferente de quando esteve na Superliga “A”, o time se chamará Apav (Associação dos Pais e Amigos do Vôlei) Vôlei, assim como quando conquistou a Superliga B, em 2012. Segundo Almir Beltrame, presidente da entidade, a mudança se dá por um motivo simples. “Queremos ter nossa identidade ligada ao Rio Grande do Sul como um todo e, não apenas, Canoas. Buscamos parceiros em todas as regiões”, ressalta.

APOIADORES

A busca, agora é por recursos. Leonardo Sena, diretor administrativo e marketing do clube, a parceria com a Universidade La Salle está mantida. Além disso, um leque de opções se abriu para a captação. “Fizemos parceria com uma empresa para que nos inscrevêssemos em projetos pela Lei de Incentivo em nível federal e estadual. Além disso, estamos aptos a receber verba do Comdica”.

Almir Beltrame conta que há mais dois patrocinadores encaminhados. “Queremos voltar a encher este ginásio (Poliesportivo La Salle). Estamos ansiosos por isso, mas trabalhando com os pés no chão”.

Marcelinho deve ser o técnico

Marcelinho Ramos, que já treinou o time e que na temporada passada foi assistente de Marcel Matz, deve ser o treinador da equipe na Superliga B. Além dele, os demais integrantes devem permanecer. A única exceção é Matz, que foi para Portugal. “Continuaremos com nossa filosofia de apostar nos mais jovens, com uns quatro ou cinco jogadores mais experientes”, resume Gustavo Endres.

Fair Play Financeiro foi cobrado

Para participar da Superliga B, a Apav teve de se adequar ao Flair Play Financeiro, pré-requisito que a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) impõe aos clubes. Por isso, a agremiação teve de fazer um acordo com os atletas, que ainda não receberam o pagamento total referente à temporada passada.

“Eles reconheceram a seriedade do projeto e confiaram na gente. Vamos cumprir com todos nossos compromissos, como de praxe”, salienta Almir Beltrame, presidente da Apav. Ele destaca ainda que o mercado reagiu positivamente com a desistência do Canoas em jogar a Superliga para cumprir com os compromissos pendentes. “Eles viram nossa atitude como responsável. Não demos um passo maior que a perna”.

Vale lembrar que o clube desistiu de participar da Superliga desta temporada - que começa semana que vem - por não ter conseguido quitar as dívidas com atletas, comissão técnica e fornecedores.

À época, a direção deu como principal motivo para a falta de recursos, a suspensão dos pagamentos por parte da Prefeitura. A administração informou, na ocasião, que a suspensão se deu por um questionamento do Ministério Público.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.