Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Tufão Mangkhut

Filipinas se preparam para a chegada de um supertufão

Vento pode chegar a 255 km/h nas próximas 24 horas
14/09/2018 14:29 14/09/2018 14:31

Foto por: ANTHONY WALLACE/AFP
Descrição da foto: Morador reforça janela na ilha costeira de Lei Yue Mun
Milhares de pessoas fugiram de suas casas nas Filipinas ante a iminente chegada do supertufão Mangkhut, com rajadas de até 255 km/h e ameaça de chuvas torrenciais. Mangkhut, esperado nas próximas 24 horas, é o tufão mais violento que já atingiu o país ao longo do ano.

Nas zonas costeiras do norte, do arquipélago, região atingida por desastres naturais, já abandonaram suas casas.

Os habitantes de Luzón, a principal ilha das Filipinas, onde vivem milhões de pessoas, estão reforçando janelas e telhados para evitar que sejam arrancados pela tempestade. "As chuvas vão ser fortes e os ventos não serão brincadeira", declarou Michael Conag, porta-voz da Defensa Civil local.

"Pode haver ondas equivalentes a um prédio de quatro andares e muitas casas poderão ser destruídas, principalmente as construções mais frágeis, que são mais frequentes nestas zonas costeiras", explicou.

Uma chuva muito forte já começava a atingir a ponta nordeste de Luzon, também varrida por ventos intensos, embora no momento não cause estragos maiores.

Pelo menos quatro milhões de pessoas estão na trajetória direta de Mangkhut, que então seguirá para o sul da China, incluindo o território semi-autônomo de Hong Kong.

Moradores com medo

"Estamos com muito medo, dizem que o tufão é muito violento", afirma Delaila Pasion, que deixou sua casa. "Nós estávamos com muito medo de ficar". "Nas últimas chuvas de monção, nossa casa foi destruída. Quero que meus netos fiquem em segurança", acrescenta.

As autoridades particularmente temem as inundações e os deslizamentos de terra.

As pequenas aldeias de pescadores também são muito vulneráveis aos ventos violentos e às enormes ondas que caem na costa.

O arquipélago filipino é atingido todos os anos por cerca de vinte tufões, que deixam centenas de mortos e agravam a pobreza de milhões de pessoas.

Haiyan, um dos tufões mais violentos da temporada, atingiu as ilhas do centro das Filipinas em novembro de 2013, com ventos de mais de 315 km/h.

Imensas ondas parecidas com tsunamis arrasaram tudo em sua passagem. A catástrofe deixou mais de 7.350 mortos ou desaparecidos, e quatro milhões de pessoas perderam seus lares.

A agência meteorológica filipina indicou que o Mangkhut é por ora a tempestade tropical mais violenta do ano, com ventos de 205 km/h e rajadas de até 255 km/h.

Ameaça considerável

O observatório meteorológico da ex-colônia britânica de Hong Kong pediu prudência à população e explicou que a tempestade constitui uma ameaça considerável.

Os serviços meteorológicos de Taiwan previram que a tempestade chegará à ilha no sábado, com fortes chuvas no sul e leste do território, embora acreditem que a área vá ser diretamente atingida.


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS