Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE

Esperança de uma vida melhor para Kayron

Bebê foi operado ainda ni útero para tentar diminuir sequelas da mielomeningocele
09/07/2018 10:24 09/07/2018 10:24


Arquivo pessoal
Tais e Gilberto esperam o primeiro filho, que deve nascer em setembro
Kayron ainda nem nasceu, mas sua vida já pode ter sido transformada por um procedimento cirúrgico, ainda no útero da mãe. Na semana passada, uma operação intra-uterina foi feita para corrigir o defeito congênito na coluna e medula espinhal, a mielomeningocele.

O procedimento é raro e só pode ser feito entre 18 e 26 semanas de gestação, de acordo com a médica obstetra especialista em medicina fetal do Hospital Universitário, que acompanha o caso. “Também há outros fatores de inclusão ou exclusão. A Tais chegou bem próximo deste prazo, com o diagnóstico em 24 semanas e 4 dias.

Conseguimos o encaminhamento para a cirurgia em menos de duas semanas”, conta Mariana Barth.

A desempregada Tais Kiana da Silva, 34 anos, passou pela cirurgia no Hospital de Clínicas de São Paulo. “Foi tudo bem no procedimento, mas o resultado só será conhecido após o parto”, conta a mãe de Kayron e moradora do bairro Mathias Velho.

Recuperação

Ela se recupera da cirurgia e passa pelo período restante da gestação, que é considerada de risco, na capital paulista, para acompanhamento médico. “O procedimento pode trazer melhora no prognóstico neurológico e diminui chances de colocar dreno para hidrocefalia”, explica Mariana e destaca que Kayron poderá ganhar mais qualidade de vida, com melhoras no desenvolvimento motor e redução de sequelas.

Eles contam com a solidariedade

O nascimento de Kayron está previsto para setembro, conforme o pai, Gilberto Bica Júnior, 41. Ele conta que a esposa precisará ficar, pelo menos, até novembro em São Paulo. “São muitas despesas, principalmente com hospedagem e deslocamento para as consultas médicas”, relata o pai da criança. Uma campanha na internet tenta arrecadar recursos para apoiar a gestante no tratamento longe de Canoas. As doações podem ser feitas na página https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-o-kayron-a-vencer-esta-luta?tm_campaign=facebook&utm_content=323854&utm_medium=website&utm_source=social-shares.

Saiba mais

A mielomeningocele, também conhecida como espinha bífida aberta, é uma má-formação congênita da coluna vertebral da criança em que as meninges, a medula e as raízes nervosas estão expostas.

Não se sabe ao certo o que causa a espinha bífida. Assim como acontece com muitos outros problemas de saúde, esta condição parece resultar de uma combinação de fatores genéticos e ambientais, como histórico familiar e deficiência de ácido fólico. O comprometimento neurológico na mielomeningocele é comum. As sequelas da doença são fraqueza muscular das pernas (às paralisia), perda de controle e demais problemas intestinais e da bexiga; insensibilidade parcial ou total; convulsões; problemas ortopédicos, como pés deformados, quadris irregulares e escoliose; hidrocefalia (acúmulo de líquido no cérebro); e presença de pelos na parte posterior da pélvis (região sacral).

Como ajudar

Caixa Econômica Federal
Agência: 0433
Conta: 00021021-4
Gilberto da Silveira Bica Jr.
Mais informações pelo telefone: 98400-7913


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS