Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Montanhista

''Estar no topo do mundo é inexplicável'', diz hamburguense no Everest

Montanhista Gilberto Thoen manda notícias à reportagem diretamente do acampamento base do Everest
23/05/2018 10:33 23/05/2018 17:44

Divulgação/Divulgação/Acervo pessoal
Montanhista levou fotos da família para o cume

Esgotamento físico, queimaduras de frio, ar rarefeito. Nada disso superou a euforia pela conquista do Monte Everest. ‘‘Estar no topo do mundo é uma sensação inexplicável’’, disse, por volta das 9h30 desta segunda-feira, o montanhista hamburguense Gilberto Thoen, 55 anos, que havia acabado de chegar ao acampamento base, a 5.365 metros de altitude Diretamente da montanha, ele está mandando notícias e fotos à reportagem do Jornal NH. ‘‘Estou bem, mas com os lábios queimados devido ao frio. Também estou com um dedo congelado, mas ele vai escapar’’, relatou, via WhatsApp. O fuso do Nepal está 6 horas à frente do horário de Brasília.

Ouça um áudio enviado por Gilberto na manhã desta quarta-feira

Divulgação/Divulgação/Acervo pessoal
Façanha: Gilberto (ao centro, de calça vermelha) com os sherpas e seu guia

A façanha foi obtida na segunda-feira. Depois chegar aos 8.848 metros de altitude em relação ao nível do mar, Gilberto Topo, como é conhecido, precisou enfrentar um drama ainda maior: a descida. Sem condições físicas, ele necessitou ser carregado por sherpas e pelo seu guia. ‘‘A descida foi cruel. Perdi 15 quilos nos últimos dias. Ou seja: estou um caco’’, resume. Durante as 70 horas do chamado ‘‘ciclo de cume’’, entre subida e descida, ele usou 9 mil litros de oxigênio.

Divulgação/Divulgação/Acervo pessoal
Vista do ponto mais alto da Terra

Os cerca de 160 quilômetros entre o acampamento base e a capital Katmandu serão percorridos nos próximos dias de helicóptero e a previsão é que até quinta-feira da próxima semana (30) ele esteja de volta a Novo Hamburgo, onde terá uma calorosa recepção dos amigos e familiares. Gilberto é o 23º o brasileiro que chegou ao topo do Everest e o sétimo a completar o tão sonhado projeto Sete Cumes, os montes mais altos de cada continente.

Acervo pessoal/Acervo pessoal
Aventureiro perdeu 15 quilos nos últimos dias


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS