Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Brasileirão

Desafio do Inter é aliar solidez defensiva com gols

Colorado retira lições do Gre-Nal para crescer como time e voltar a vencer
13/05/2018 21:42 13/05/2018 22:10

Ricardo Duarte/Inter
Patrick tem sido um dos principais referenciais técnicos e táticos do Inter
O Gre-Nal 416 já é passado e o Inter se reapresenta hoje no CT do Parque Gigante. Foco que se volta agora para a Chapecoense, na próxima segunda-feira, no Beira-Rio, pela 6ª rodada do Brasileirão. Chance de somar três pontos e chegar aos oito, avançando na tabela. E a vitória dentro de casa é uma obrigação, um mantra que deve ser tatuado pelo Colorado quando atuar em seus domínios, independente do tamanho do adversário. É vencendo no seu quintal que o Inter poderá medir as suas reais possibilidades na competição.

Contra a Chape, Odair Hellmann terá todos os titulares. Incluindo aí D´Alessandro, poupado no clássico, e William Pottker, que volta de suspensão. Como o futebol também se explica por estratégia, as lições do Gre-Nal já estão bem claras no vestiário rubro. Talvez não ainda para o torcedor, que na sua passionalidade pode ter enxergado a performance do dérbi como de diminuição. Se abdicou do ataque, o Inter mostrou uma solidez defensiva até então desconhecida nesta temporada, de compactação na marcação e diminuição de espaços ao adversário.

POSTURA
Sob um olhar pedagógico, revelou ainda uma solidariedade de grupo e senso de coletivo, com os atletas cumprindo à risca o que pediu o técnico, sendo Moledo, Dourado, Zeca e o abnegado Patrick as melhores referências dessa postura solidária e combativa. O desafio agora é manter essa solidez defensiva e aliar a isso uma melhor transição na posse de bola. Equilíbrio que pode fazer a equipe retomar a efetividade no caminho do gol. Afinal, já são 450 minutos sem balançar a rede adversária. A última vez foi no 2 a 0 diante do Bahia, ainda na primeira rodada.


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS