Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Segurança pública

Caem todos os indicadores criminais no Estado

Delitos contra a vida, homicídios e latrocínios despencaram no primeiro bimestre
12/03/2018 15:13 12/03/2018 15:13


Rodrigo Ziebel/SSP
Secretário de Segurança apresentou dados
A estatística serve para medir e diagnosticar ações, comparando práticas e corrigindo rumos. Dito isto, é preciso saudar que os 16 indicadores criminais acompanhados pela Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP-RS) apresentaram queda no primeiro bimestre do ano se comparados a igual período do ano passado, mesmo que para a maioria da população a sensação de insegurança siga diária. Nos delitos de maior comoção social, os crimes contra a vida, a baixa pode ser considerada de boa para muito boa. Os números de janeiro e fevereiro no Estado revelaram a redução de 34,5% nos homicídios, com 377 registros neste ano ante 576 em 2017. Nos latrocínios, o percentual foi maior ainda, de 63,9%, com o registro de 13 crimes nos dois primeiros meses do ano ante 36 no ano passado. Os dados da SSP-RS foram revelados nesta segunda-feira em coletiva de imprensa na sede da pasta, na capital. Nos demais 14 indicadores a retração também foi acentuada. Caso do roubo de usuários de transporte coletivo, que caiu -60,7% (de 112 ocorrências para 44), do roubo de bancos, com retração de -42,9% (de 14 para 8) e do furto de banco, com baixa de -29,6% (de 27 para 19). “Tivemos aumentos nos efetivos das polícias fizemos a Operação Pulso Firme, de transferência de presos de alta periculosidade para presídios federais, uma maior integração com os municípios pelo Sistema de Segurança Integrada, o SIM, compra de armas, instalação de câmeras de videomonitoramento e de sistemas de inteligência. Um conjunto de medidas que nos remetem para essa nova realidade”, argumentou o secretário Cezar Schirmer que, contudo, ponderou que se vistos sob números absolutos os indicadores seguem altos.

Distribuição de novos PMs
Em 20 dias a SSP-RS e Comando Geral da Brigada Militar revelam o destino de quase 500 novos soldados, em fase final de formação. Conforme Cezar Schirmer, os critérios para a distribuição dessa tropa ainda não estão definidos. “Mas certamente vamos considerar a realidade dos 21 municípios com maior criminalidade, algumas regiões que não conseguimos suprir a carência, como a zona Sul, Pelotas e Rio Grande, e mais os pequenos municípios”, disse Schirmer, lembrando que dos 1.088 PMs formados em julho de 2017 as regiões beneficiadas foram a metropolitana, Vale do Sinos, Serra e a capital.

A cerca eletrônica do Vale do Sinos
Questionado na coletiva sobre a demora na implantação do projeto do cercamento eletrônico no Vale do Sinos, a partir de emendas parlamentares obtidas no ano passado pelos municípios em parceria com o Movimento #Paz, mas com a compra dos equipamentos pela Secretaria, Cezar Schirmer esclareceu que a licitação está em andamento. “Acho que o termo de referência já está na Central de Licitações do Estado, a Celic”, sintetizou, mas sem esclarecer quando o certame deve ser oficializado, ou seja, ser publicado.

Reunião em Brasília
Prevendo que em até 30 dias a SSP-RS irá divulgar um conjunto de novas medidas para a segurança gaúcha, Cezar Schirmer revelou que nesta quinta-feira participará em Basília de reuniões dos secretários de segurança dos estados com o ministro da Justiça. Na pauta, ações efetivas da União no apoio aos estados, a partir do anúncio de R$ 42 bilhões que serão liberados pelo governo federal para o segmento. “Vamos lá para estabelecer prioridades dos secretários com o ministro. Não adianta imaginar que o governo federal vai atacar em todas as pontas. Isso não vai acontecer. E os problemas que enfrentamos são legislação permissiva, as fronteiras com o crime organizado e contrabando de drogas e armas e o sistema prisional, o financiamento público para construir presídios. Uma vaga no presídio, por preso, custo 60 mil reais”, ilustrou Schirmer.

QUADRO – Os 16 indicadores criminais medidos pela SSP-RS

Período: janeiro/fevereiro de 2018 ante igual período de 2017

-Homicídios: -34,5% (377 registros neste ano ante 576 em 2017);
-Latrocínios: -63,9% (13 crimes neste ano ante 36 no ano passado);
-Furto: -16%
-Roubo: -22,5%
-Furto de veículos: -16,2%
-Roubo de veículos: -11,9%
-Abigeato: -30,8%
-Furto de banco: -29,6%
-Roubo de banco: -42,9%
-Roubo de usuários de transporte coletivo: -60,7%
-Roubo de profissionais de transporte coletivo: -32,9%
-Roubo de comércio: -38,5%
-Furto de comércio: -26,7%
-Ameaça contra mulheres: -9,7%
-Estupro de mulheres: -16,3%
-Lesão corporal contra mulheres: -7,9%
Fonte: SSP-RS


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS