Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Cris Manfro

Pé por pé

"Muita gente de um limão faz uma limonada, outros fazem uma caipirinha, outros fazem uma torta de limão"
18/03/2018 06:06

Cris Manfro é psicóloga clínica, terapeuta de família e casal e mediadora familiar
acmanfro@terra.com.br

Esse ano que passou foi um ano difícil para muita gente. Ouvi pessoas falando que tiveram “reveses” em muitas coisas. Que tiveram que baixar o padrão de vida, tiveram que remanejar muitos gastos, fazer muitos cortes e, como se diz no popular, tiveram que “apertar os cintos”. Se você faz parte desse grupo, como eu, vai perceber que é difícil não se desmotivar. Esses reveses mexem com a estima e com a potência da pessoa. Faz com que os piores pensamentos venham a cabeça, como o de não ser capaz, não ter valor, não conseguir fazer as coisas e ser um perdedor. Mas quando você foca em resoluções ao invés de ficar focado nas lástimas, a situação pode mudar. E para melhor.

Ninguém aqui vai sair dizendo que é bom passar por crise e sofrimentos. Mas não se pode negar que muita gente de um limão faz uma limonada, outros fazem uma caipirinha, outros fazem uma torta de limão. Usam e abusam da criatividade. Exploram ideias. E essas pessoas têm algo em comum: não desistem. Colocam garra e perseverança. Isso principalmente porque não deixam que esses “reveses temporários se tornem desculpas permanentes”. Leia melhor sobre isso no livro Garra, de Angela Duckworth.

Usam da criatividade ao invés de lamentar as fatalidades. Buscam recursos dentro de si mesmas e fora delas ao invés de tercerizar responsabilidades. Focam o presente, pensando no que é preciso fazer ao invés de ruminar os problemas. Trocam todos os “ia” – eu poderia, faria, gostaria – pelo: eu posso, faço, quero, e dessa forma agem. Não ficam filosofando, mas partem para a ação. Muita gente filosofa sobre tudo, mas não move uma palha para a própria melhora.

O seu grau de satisfação e motivação com as coisas e com sua vida vai subir e descer de acordo com suas atitudes. Mesmo que os resultados não sejam no momento o que você espera, ao ver melhoras, isso já é motivador. Dar movimento nos projetos, ao trabalho, fazer planos, já é motivador. Tudo isso também vai depender da sua dedicação. Não tem mágica. É trabalho duro mesmo. O sucesso tem muita ligação com a dedicação. Mesmo que muita gente se dedique a coisas erradas. Quando você passar por reveses na vida, lembre-se de seguir em frente. Pé por pé. Quando você perceber, já terá percorrido uma grande distância. Estará longe dos reveses e ainda terá aprendido muitas lições. Tudo começa com um movimento. Levante e se mexa. Tem milhões de possibilidades e, se você não estiver visualizando, quem sabe não seja a hora de você criar as suas possibilidades.


Diário de Canoas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS