Publicidade
Acompanhe:
Esportes Paixão pelo vôlei

Um quase canoense de volta às quadras

O central Alexandre Sloboda, 43 anos, se tornou o mais velho atleta a pontuar nos 23 anos de história da Superliga

Por Djalma Júnior
Última atualização: 27.02.2017 às 16:44

Aos 43 anos, Alexandre Sloboda se tornou o mais velho pontuador da históriaApós uma carreira vitoriosa no voleibol, com títulos nacionais e internacionais, o carioca e canoense de coração Alexandre Sloboda, 43 anos, se tornou supervisor do Copel Telecom/Maringá Vôlei. Por necessidade, acabou retornando para as quadras no final do ano passado, cinco anos depois de encerrar sua trajetória como atleta. Devido a lesões, a equipe paranaense perdeu dois centrais na temporada e Sloboda passou a acumular as funções de supervisor e jogador. Contra o Montes Claros, em dezembro, ele entrou no final da partida. Após um ataque, o central se tornou o mais velho atleta a pontuar nos 23 anos de história da Superliga. “Acredito que o recorde anterior era do Gilson Mão de Pilão, que tinha 41 ou 42 anos quando atuou pelo São Caetano”, disse o dublê de dirigente e jogador, pouco antes da partida contra o Lebes/Gedore/Canoas, na noite da última quarta-feira.

Sloboda chegou à cidade com 9 anos. Estudou no Colégio Maria Auxiliadora e, mais tarde, no Colégio La Salle Canoas. Nesta escola, começou a praticar vôlei com o professor de educação física Roberto Tietz, atual secretário municipal de Esporte e Lazer, multicampeão como dirigente e treinador de vôlei no extinto Sport Club Ulbra. A dupla se reencontrou no ginásio Poliesportivo La Salle.

A carreira no vôlei começou em 1992 na equipe gaúcha da Frangosul. Dois anos depois, na parceria da empresa com a Sociedade Ginástica de Novo Hamburgo, Alexandre Sloboda conquistou o título da 1ª edição da Superliga. Após passagens por Chapecó, Minas Tênis Clube e Suzano, ele se transferiu para o voleibol francês em 1999. Foram 12 anos na Europa, onde foi campeão da Liga dos Campeões em 2005. Em torneios nacionais, foi campeão três vezes da Copa da França, uma do Campeonato Francês e uma da Supercopa.

Depois de ser treinador de uma equipe da terceira divisão francesa, Alexandre Sloboda voltou ao Brasil em 2011 como empresário, auxiliando o treinador Dema, do Cocamar, de Maringá. Pouco tempo depois, passou a integrar o projeto do Maringá Vôlei, do levantador Ricardinho, como supervisor. “É gratificante ver o Alexandre retornando ao ginásio da escola onde ele começou e em uma função na qual eu exerci por muitos anos”, comentou o ex-professor de Sloboda Roberto Tietz.

A carreira

COMO JOGADOR

1992-1996 - Frangosul / Frangosul/Ginástica

1996-1997 - Chapecó (SC)

1997-1998 - Minas Tênis Clube (MG)

1998-1999 - Suzano (SP)

1999-2002 - Tourcoing LM (França)

2002-2007 - Tours Volley-Ball (França)

2007-2010 - Tourcoing LM (França)

2016-2017 - Copel Telecom/Maringá Vôlei (PR)

COMO TREINADOR

2011-2012 - VCM Halluin (França)

COMO DIRIGENTE

2012-2017 - Copel Telecom/Maringá Vôlei

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.