Jornais
FECHAR
  • Jornal NH
  • Jornal VS
  • Jornal de Gramado
  • Diário de Cachoeirinha
  • Correio de Gravataí
Grupo Sinos
Publicado em 26/12/2014 - 06h22
Última atualização em 26/12/2014 - 15h02

Frota da região cresce 93% em 10 anos

São 692 mil carros, motos e caminhões nas ruas

Camila Hugentobler - camila.hugentobler@gruposinos.com.br

Foto: Inézio Machado/GES
Entre 2004 e 2014, cerca de 335 mil veículos a mais circulam pelas ruas da região. O acréscimo representa 93% na frota das cidades de abrangência do Jornal NH. Conforme levantamento feito pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), até outubro deste ano a frota da região está contabilizada em mais de 692 mil veículos, entre carros, caminhões e motocicletas. Em 2004, esse total era de pouco mais de 358 mil.

Entre os maiores municípios da região em número de veículos, Novo Hamburgo, Campo Bom, Estância Velha, Montenegro e Sapiranga somam mais de 303 mil. De 2004 até este ano, foram postos para rodar nas ruas mais de 135 mil nestas cidades. Somente em Novo Hamburgo, mais de cinco mil novos veículos circulam pelo município a cada ano. De acordo com o secretário de Segurança e Mobilidade Urbana de Novo Hamburgo, Egon Kirchheim, o aumento expressivo de novos carros dificulta o tráfego nas ruas, que não são ampliadas para suportar esse volume. "As ruas terão sempre a mesma largura. O que precisamos fazer é saber administrar, mudar o fluxo dos veículos e pensar numa situação que possa facilitar o trânsito nas cidades", explica. No município, a frota é de 152.905 mil veículos, ou seja, uma proporção de dois carros a cada três moradores (a população total de Novo Hamburgo é de 238.940 mil habitantes).
 
Em Campo Bom, onde a frota praticamente duplicou em dez anos, o coordenador de Trânsito Raul Fröhlich diz que foi preciso demarcar vagas na área central para organizar o fluxo de veículos e orientar os motoristas quanto ao estacionamento correto. "Percebíamos que sem essas demarcações os motoristas ficavam confusos e isso acabava se transferindo para o trânsito", explica. Fröhlich alerta que a cidade recebe um número muito elevado de veículos que desviam do pedágio da RS-239. Com mais veículos nas ruas, é cada vez mais comum encontrar motoristas estressados. "Os brasileiros, no geral, não sabem se comportar no trânsito. As pessoas estão com dinheiro para comprar seus carros, e isso é bom, porém é preciso saber respeitar pedestres e motoristas", opina o empresário Carlos Eduardo Andrade da Silva, 32 anos.
 
Soluções para desafogar o tráfego
Com o intuito de equalizar a fluidez no trânsito em meio a tantos veículos, muitos municípios projetam estudos voltados à área. É o caso de Sapiranga, onde segundo o secretário de Segurança e Mobilidade Urbana, Delso Civa, já está em processo de licitação um plano de mobilidade urbana para a cidade, que nos últimos dez anos viu a frota saltar de 23 mil veículos para 44 mil. "Até fevereiro de 2015 o estudo deve estar concluído e com certeza mudará bastante o trânsito da cidade."

Em Novo Hamburgo, o secretário de Segurança e Mobilidade Urbana, Egon Kirchheim, adianta que um estudo sobre os pontos críticos no trânsito deve ser realizado pela Feevale. Kirchheim observa ainda que todos devem pensar no coletivo, usando outros meios de transporte, como os públicos, ou repensando como realizar pequenos trajetos.

Publicidade