Jornais
FECHAR
  • Jornal NH
  • Jornal VS
  • Jornal de Gramado
  • Diário de Cachoeirinha
  • Correio de Gravataí
Grupo Sinos
Publicado em 02/06/2014 - 13h05
Última atualização em 02/06/2014 - 13h08

Rotina atribulada traz problemas emocionais

Excesso de estímulos é a principal causa de síndrome

Estresse, ansiedade, preocupaçãoA correria do dia a dia, a busca constante por resultados, o ritmo intenso de trabalho e estudos têm provocado vários problemas emocionais. Pesquisas recentes revelam que a depressão, por exemplo, já atinge de 15% a 20% da população mundial. Além do estresse, da síndrome do pânico e da nomofobia (do inglês nonmobile – medo de ficar sem celular), uma nova sigla tem chamado a atenção de pesquisadores, médicos e psicólogos, trata-se da SPA – Síndrome do Pensamento Acelerado. De acordo com o psicólogo Fernando Elias José, mestre em Cognição Humana, a SPA não é uma doença, mas um sintoma, geralmente vinculado a um quadro de transtorno de ansiedade. “A grosso modo é como se a pessoa não desligasse nunca, estivesse sempre atenta. Quando deita para dormir, pensa no dia de amanhã, está sempre pensando, sem parar”, explica. Entre suas principais características estão uma sensação persistente de apreensão, dificuldade de memória, déficit de concentração, fadiga excessiva, irritabilidade e sono alterado.
A causa da síndrome está no excesso de estímulos que temos hoje em dia. Além disso, a grande quantidade de informações, associada a preocupações sociais, busca compulsiva de necessidades que nem sempre são prioritárias e intensa atividade profissional acabam também prejudicando o emocional.
 
Pensamento acelerado o tempo todo
O portador da SPA não consegue desacelerar seus pensamentos e facilmente é vítima do famoso branco, que, segundo Fernando Elias, não existe. “O que ocorre na hora da prova, por exemplo, é manifestação de uma ansiedade elevada, e não há perda repentina do conhecimento.” Ele explica que, quando a pessoa fica nervosa, acaba descarregando uma grande quantidade de adrenalina no organismo, o que a deixa mais acelerada e incapaz de focar nos conteúdos aprendidos. Entre os pacientes com a síndrome, é comum haver uma forte cobrança interna por resultados e a frequente sensação de chegar ao final do dia com a impressão de que está deixando de fazer alguma coisa. A pessoa também tem o sono alterado, sente insatisfação existencial e até dores musculares.
 
Corpo também fica cansado
Uma característica básica da SPA é o cansaço físico exagerado e inexplicável. Segundo o psicólogo, por pensar excessivamente, os portadores dessa síndrome roubam energia do córtex cerebral, que é a camada mais evoluída do cérebro. “A energia do córtex deveria ser utilizada nos órgãos do corpo, como musculatura. Assim, sentem uma fadiga impressionante”, observa.
 
Tratamento é feito com um passo de cada vez
Para o psicólogo Fernando Elias, o primeiro passo para tratar a Síndrome do Pensamento Acelerado é identificar que ela existe. “Segundo, é querer mudar, e terceiro colocar em prática, se organizar, pegar papel e caneta, e ficar atento para que se desligue em alguns momentos da situação como um todo”, afirma. É importante que o portador de SPA encontre um novo estilo de vida e passe a treinar a emoção para desacelerar os pensamentos e se tornar uma pessoa estável, feliz e tranquila. É possível também recorrer à psicoterapia ou atividades alternativas, como o yoga, mas não existe receita de bolo. “Cada um vai encontrar o seu método para desacelerar, observar as coisas que estejam ao redor de forma mais tranquila, tentar programar um dia, dar um passo de cada vez. Esse ritmo alucinante tem que ter limites que a própria pessoa vai estabelecer”, ressalta.
 

Publicidade